Arquivo da tag: gandhi

MORRER é uma certeza! Como morrer, é uma escolha. Eu escolhi a minha, e você?

 

“Melhor MORRER, que perder a vida.”

Desconhecido.

 

 

 

Houve o tempo do chamado e este tempo se deu há um ano atrás, quando convoquei a todos para uma MARCHA PARA BRASÍLIA, PARA DEPOR TEMER E REEMPOSSAR DILMA. Estive sozinho lá.

Cada um segue seu caminho!

Hoje, não me atrevo a “chamar” ninguém, cada um SEGUE SUA CONSCIÊNCIA, eu apenas sigo a minha.

Não nasci para MÁRTIR, nem muito menos para COVARDE! E, como diz Raul Seixas, “Não nasci pra tirar onda de HERÓI…”.

Mas, sinceramente, vivi a ERA FHC, e lá, morriam DOIS BOINGS 737 DE CRIANÇAS DEVIDO A FOME TODO DIA, hoje, avisto tempos muito mais tenebrosos e sombrios. Naquela época foram 840.960 crianças que morreram de INANIÇÃO ou doenças relacionadas a FOME, não quero estar vivo para ver isto passivamente.

Antes de uma atitude precipitada é a consequência do meu caminho, pois, tudo que fiz, convergiu para me trazer até aqui. Portanto, não posso desrespeitar o que senti, o que vivi, tudo que sei e conheci. Não posso desrespeitar o que sou.

Não é uma decisão fácil, você tomar uma atitude que poderá te levar ao encontro com a morte, muito menos quando você tem filhos e deseja vê-los crescer e se desenvolver.

Alguns dirão que não devemos nos sacrificar como o amigo Dylan Silva: “perder a sua vida em prol dessa sociedade doente e hipócrita não vale a pena”.

Não pretendo “perder” a minha vida por ninguém, antes, que minha consciência.

Havia afirmado em postagem anterior que “Não há experiência mais libertadora que PERDER A SANIDADE num mundo de loucos”, e é assim mesmo que penso.

Não desejo ser uma pessoa normal nesta vida insana, a sorrir amarelo e fingir alegria. Tenho que dar o meu melhor para que as coisas possam ser melhores, e o mais impressionante é que, com um pouquinho mais de ousadia, conseguiríamos juntos isso.

Mas afinal, como se pode perder uma coisa que não se tem???

Morte

O que é a vida que uma concessão que você “recebe” e que, no dia que você nasce já está definido que terá que entregar, mais dia, menos dia???

Sócrates foi acusado de não reconhecer os deuses do Estado, de introduzir novas divindades e corromper a juventude. A Pena? Morte por ingestão de CICUTA, um veneno.

Mesmo tendo mostrado a leviandade das acusações contra si, da mesma forma que temos hoje, a situação de nosso companheiro LULA, ele, em nenhum momento se deteve ante seu destino, pois, pensava, seria esta condenação uma coisa ruim? Se uma vez que ninguém sabe o que há depois da morte, não poderia ser um prêmio ao invés de um castigo?

Cada vez mais estas reflexões me trazem a tranquilidade e a serenidade de que preciso para enfrentar “o DESTINO que construí para mim”. Sim amigos, eu construí, pois minhas ações me trouxeram até aqui. Eu sou o resultado de minhas escolhas, acertadas ou erradas, boas ou más.

Quem me conhece melhor, sabe que, hoje, sou uma pessoa da PAZ e que não aceito a ideia de fazer mal a ninguém.

Quando falo, sou comedido e atento para que nunca me exceda e não venha a falar algo que venha a machucar alguém. Minhas ações recebem uma atenção maior ainda, mas, quando escrevo, acredito ser imperdoável vir a ferir alguém ou a dizer uma coisa que não tenha avaliado muito bem suas consequências.

Coragem2

Aprendi com meu querido pai, a assumir o que faço, reconhecer quando erro, e ser atento para não repetir o erro.

Quanto tempo cada um de nós tem? Meu pai morreu aos 52 anos de vida e me fez uma falta brutal. Eu estou com 47 agora e meu filho mais novo fará seis anos dia 13/08.

Tenho duas outras filhas que me foram arrancadas de mim (alienação parental) e não as vejo mais, e quem puder imaginar o que é você ter um filho arrancado de você, deve ter noção da DOR LANCINANTE que isto significa.

A atitude que pretendo ter, em ir para Brasília, antes de uma loucura, antes de ser um ato em que pretendo me “suicidar”, para quem não entendeu ainda, é um ATO DE DENÚNCIA contra quem deveria nos defender e está fingindo frente às câmeras.

Nosso povo, tenho falado há tempos isso, está apenas a espera de um sinal, de uma liderança que possa acompanhar e seguir para retomar nosso país dessa quadrilha que tomou de assalto o Palácio do Planalto (tenho plena certeza que esta liderança não sou eu).

A minha atitude, pretende colocar TODAS AS NOSSAS LIDERANÇAS DE ESQUERDA, onde elas verdadeiramente estão, e as pessoas não se apercebem isso. Afinal, como você olharia seu deputado que fica “denunciando” a GLOBO como GOLPISTA e, depois que desce da tribuna, vai desfilar com sua “INDIGNAÇÃO”, exatamente, neste veículo GOLPISTA???

Não percebe você que este tipo de atitude leva toda a esquerda brasileira ao descrédito e faz com que TODA a população desconfie de nós, de nossas intenções? E que passamos a ser vistos, por estas e outras “atitudes dúbias”, como “farinha do mesmo saco”???

Não creio que este tipo de atitude possa ser mantido! Por isto, tenho criticado duramente nossos parlamentares pois as ações deles são pífias, diante de um GOLPE que foi anunciado e discutido pela grande mídia, por ONZE LONGOS ANOS e onde, depois de passado já um ano, a cada dia, as coisas pioram para nosso povo.

GarotaFicaCega

Diante de tudo que disse, existe algumas ações que podemos ter, que poderia evitar “sacrifícios humanos inúteis” como o que pretendo fazer agora e que tem levado a outras pessoas a sofrerem desnecessariamente, como a estudante Debora Fabri, que ficou cega de um olho durante uma manifestação.

 

  1. Não há porque fazer mais passeatas, agora é reunirmos forças, marcar a data, nos preparar, chamar a todos os cidadãos, montar a estrutura e fazermos “A MANIFESTAÇÃO FINAL”. O que significa, irmos para Brasília com a mesma disposição que eu estou a demonstrar, para só sair de lá depois que o GOLPE for DERROTADO e colocarmos o VERME de plantão no Palácio do Planalto para correr, seja ele Temer ou Maia. Temos que ter a disposição de colocar 500.000 pessoas em Brasília e nos prepararmos para paralisar a cidade por, no mínimo, um mês, nada menos que isso;
  2. REEMPOSSAR DILMA;
  3. EXTINGUIR A REDE GLOBO, que deverá ser estatizada e seus proprietários presos e destituídos dos seus bens, por promoverem um GOLPE com todas as consequências que estamos vendo e que poderia nos levar a uma GUERRA CIVIL;
  4. Usar a REDE GLOBO para, durante seis meses, discutirmos uma nova Constituição para nosso país, usando o canal durante o horário das seis da tarde até meia noite para discutirmos que tipo de país queremos e debatendo as leis de forma franca e honesta, o que, além de politizar enormemente nosso povo, irá lhes dar um conhecimento das leis que irão regular nosso comportamento como cidadãos, de agora por diante.

 

Percebam, o que proponho não é “pedir nada a ninguém” pois nada nos será dado. Proponho arrancarmos das mãos dos CRIMINOSOS  e seus cúmplices nas diversas esferas e instituições do Estado. Teremos que desalojar eles de lá.

Estas são as premissas do que devemos fazer.

Teremos nossas centrais sindicais a nosso lado? Terão elas a CORAGEM  de deixar de fazer “shows pirotécnicos” com MEGA MANIFESTAÇÕES sem sentido, que não nos levam a coisa alguma?

Será que ninguém entendeu ainda que o único jeito de se lidar com os GOLPISTAS CRIMINOSOS que tomaram de assalto o Governo Federal do nosso país, é a DEPOSIÇÃO??? Todo o resto é DE(COM)POSIÇÃO!!!

Coragem1

Nossos parlamentares de esquerda poderiam dar contribuições significativas em direção a apoiar nossa luta, como por exemplo:

 

  1. Não dar entrevistas à REDE GLOBO, e, quando solicitada uma declaração dizer algo como: não dou entrevista a veículos GOLPISTAS;
  2. Buscar colocar TENSÃO em cima do veículo GOLPISTA maior e que nos trouxe até aqui, através de PEDIDO DE CASSAÇÃO, RECOLHIMENTO DE ASSINATURAS para isso e PEDIDO DE CPI, para apurar a atuação da mesma nas ações que levaram ao GOLPE, a intenção é PRESSIONAR quem esteve, até agora, apenas lucrando com o GOLPE;
  3. Em entrevista coletiva, todos os parlamentares da esquerda, devem dar uma declaração ao mundo de que, ao derrotar-se as forças GOLPISTAS, todos os atos do governo ilegítimo serão anulados e as empresas que agiram junto a este serão proibidas de atuar, de agora por diante, no Brasil. Como exemplo uma empresa que comprou poços da Petrobrás perderá o direito sobre o mesmo e expulsa do país, sem direito a indenização, por ter colaborado com o governo GOLPISTA.

 

Não estou a fazer nenhuma convocação, mas se você concorda com o exposto aqui, me ajude a divulgar esse texto e fazer com que mais pessoas acordem para o seu papel diante de nossos irmãos, de nosso país e do mundo, e, quem sabe, ao invés de apenas um cidadão “louco” querendo invadir o Palácio do Planalto, sejamos milhares e estejamos acompanhados de nossos parlamentares e líderes de esquerda? Como eu gostaria de estar errado sobre eles.

Guardem dinheiro e se programem para ir a Brasília, com ou sem ajuda de sindicatos, com ou sem ajudas de partidos, com ou sem parlamentares, com ou sem estrelas.

Temos a opção, também, de pressionar nossos líderes, dirigentes de partidos e parlamentares de esquerda, para que adotam as medidas que proponho aqui, juntamente com a cobrança direta e diária da participação de nossas entidades das soluções aqui propostas.

Lembre-se: O FUTURO somos nós que construímos com nossas ações, AGORA!

Tenham esperança e fé no que você carrega de bom dentro de si mesmo (a).

Fiquem com as palavras de Gandhi: “Quando me desespero, eu me lembro que durante toda a história o caminho da verdade e do amor sempre ganharam. Tem existido tiranos e assassinos e por um tempo eles parecem invencíveis, mas no final, eles sempre caem – pense nisso, SEMPRE.”

 

Abraços fraternos.

 

Fábio Brito, Santa Catarina, Brasil.

Brasil: Um país por fazer!!!

“Não espere por líderes, faça você mesmo, pessoa por pessoa”

e verás que o resultado que esperavas, está, agora,

diante de seus olhos.

Madre Teresa de Calcutá e Fábio Brito.

 

 

A esquerda não aprende com seus erros, infelizmente!

Muitos companheiros não admitem críticas. Consideram que quem critica alguém da esquerda é um “quinta coluna” e, por isto, ao agir assim, a esquerda estará, para sempre condenada, ou a agir ditatorialmente, ou a repetir os mesmos erros, levando bordoada pelas costas, ao invés de ter o controle confortável de uma determinada sociedade, pois que seus ideais abrangem, ao menos, os desejos de 80% de qualquer país.

Contra críticas há um remédio infalível: respostas com “argumentos” críveis, mas, ao invés disto, para pessoas que não tem conhecimento, não estão acostumados ao debate, ou, simplesmente, não são democráticas, apesar de se definirem “do lado certo da humanidade”, é mais fácil desqualificar a pessoa que apresenta uma tese contrária às ideias contidas em seu pequeno mundo de fantasia, onde, ao lado das esquerdas só existem coisas boas, gente abnegada e santa.

As estratégias usadas por várias pessoas quando uma crítica apresentada põe em xeque seu modo de pensar e agir, e a retira, consequentemente, de seu modo preguiçoso e confortável de se portar diante do mundo são várias:

Algumas pessoas tentam desqualificar a mesma, admitindo ser até simpática ao questionamento proposto, mas que o mesmo não está sendo feito no tempo ou da forma correta, e, se o mesmo for levado adiante, irá enfraquecer todo o grupo e dispersar forças necessárias e que deveriam ser canalizadas a uma outra situação. Ao final nada se discute e se mantém a postura anterior.

Em outra situação,alega-se que não se encontram “no fórum” adequado ou que a simples divulgação de uma determinada crítica irá estabelecer a divisão e dispersão de parte do grupo e enfraquecer “a causa” que os une.

Criticar uma crítica alegando que a pessoa que critica não aceita críticas, é outra forma de se tentar desqualificar a crítica,por mais absurda que se possa entender esta atitude tortuosa.

MahatmaGandhi-Luz

A crítica bem fundamentada,no entanto, é um fator de alerta sobre o destino que vai nos levar uma atitude errada, que pode trazer consequências que não esperávamos e que não havíamos percebido antes, no entanto, quando estamos no calor de uma determinada situação, é muito difícil percebermos que estamos a agir errado.

A melhor forma de agirmos diante de uma crítica é estarmos aberto a elas e preparados sobre o assunto que se propõe a nós, admitindo que nossas ideias e conceitos não são os únicos, os melhores e que os mesmos podem ser melhorados com a forma de pensar e agir que uma outra pessoa tem, porque, este, afinal, é o modo democrático de agir, aceitar a opinião de outras pessoas, mesmo que, num primeiro momento, esta pareça absurda ou inexequível, parando um momento para refletir sobre a mesma e adotando-a em parte ou no todo, para que possamos aperfeiçoar e obter sucesso naquilo a que nos dedicamos.

MahatmaGandhi-Esforço

Quem representa ao menos 80% de uma população não tem a menor condição de passar pelo que passamos no Brasil neste momento, por isto, eu não defendo nenhuma das proposições que estão postas para se resolver a grave situação política, como se alguma delas fossem resolver os problemas históricos e seculares que nosso país tem.

Todas as propostas apresentadas para resolver o problema político que vemos no Brasil hoje, e que a cada dia se aprofunda mais, são apenas “soluções” paliativas, que visam, novamente, a esconder o problema principal. Irão apenas esconder a chama, mas, no entanto, quando uma leve brisa passar por esta chama, o país poderá se incendiar de vez e podemos não encontrar mais o nosso caminho de volta para casa.

ELEIÇÃO INDIRETA

Uma “eleição indireta” será considerada, por toda a população, apenas como um GOLPE 2.0, onde um agrupamento de políticos substituirá outro no comando do país, no intuito de aprofundar as reformas neoliberais que Washington dita aos nossos nobres parlamentares, comprados sob medida, para levar ao esfacelamento de nossas fronteiras e sacramentar a divisão do Brasil, embora a inteligência dos mesmos não lhes permita antever quais os reais interesses que estão movendo as suas cordas. Quando os fantoches do dinheiro sujo estadunidense e empresarial acordarem, nosso país só restará como lembrança em livros de história esquecidos e amarelados em prateleiras.

Além do mais, como se faria esta eleição indireta? Temer pediria ao Congresso para fazê-la? Não parece ser inteligente esta ideia.

A outra possibilidade de haver eleição indireta seria a cassação da chapa Dilma Temer, o que resultaria na condenação da Presidenta Dilma, será que existe alguém desejando que isto aconteça de verdade?

ImpeachmentDeputados

ELEIÇÕES DIRETAS JÁ

Ainda que esta seja uma opção melhor que a anterior, eleição indireta realizada por um Congresso comprovadamente corrupto e comprado por financiamento privado de empresas, esta opção teria que ser realizada para os cargos executivos e para os legislativos de todo o país, presidente, governadores deputados estaduais e federais e senadores.

Uma eleição direta apenas para presidente, ou mesmo para deputados federais e senadores, não resolverá o problema, uma vez que os golpistas de ontem, e que derrubaram a presidente DILMA, continuariam no Congresso e com os mesmos interesses em dificultar a governabilidade do país, porque, afinal, quanto pior for o desempenho do governo, sendo ele de esquerda, melhor para toda a laia golpista que infesta o país.

Um outro problema que teríamos com uma eleição direta, seja ela ampla para todos os cargos citados acima ou apenas para Planalto, seria a legitimidade da mesma, ou alguém acredita que estas eleições em urnas eletrônicas já não estão sendo fraudadas há tempos??? Recordem que o presidente do TSE que levaria a mesma adiante é o Sr. GILMAR MENDES, um dos principais responsáveis pela blindagem do PSDB na justiça brasileira e protetor de criminosos e corruptos de grande cepa.

GilmarSilencio1

Uma eleição, como as brasileiras tem sido, onde não se pode recontar votos na forma mecânica, com o voto impresso nas urnas eletrônicas, será uma eleição com resultado pautado no “que o juiz disser que foi” e nada mais poderá ser discutido, e, convenhamos, um país como o Brasil, como o momento atual mostra, não pode mais ter uma eleição “apenas para constar”, sem a certeza de que o seu resultado reflete a exata opinião de seu povo. Se esta eleição nova tiver um resultado apertado como a última foi a celeuma irá continuar mais grave ainda, com nenhum dos lados aceitando o resultado.

É bom que se recorde que este povo tem sido heroico na resistência ao enorme aparato que a direita, juntamente com a elite, tem sob seu controle, e tem dado vitórias expressivas à esquerda. O povo brasileiro é bombardeado diuturnamente com notícias falsas de nossa grande imprensa, que funciona como a parabólica do ex Ministro da Fazenda de Itamar Franco, Rubens Ricupero, mostra aquilo que é bom para a direita, a elite brasileira e seus empresários corruptores e desce a madeira nos partidos de esquerda, escondendo as notícias boas que ocorrem em seus governos e mostrando as ruins ou mesmo as inventando.

Sem que haja uma mudança imediata na justiça eleitoral brasileira, onde se possa averiguar a “posteriori”, os votos que cada eleitor deu para seu candidato, através da impressão “in loco” de seu voto, todas as eleições que houverem no Brasil, de agora em diante, carregarão a suspeita de fraude, uma vez que a justiça brasileira está enodoada pela ação deletéria do STF diante do GOLPE, perpetrado contra uma Presidenta honesta, por um grupo de bandidos.

ANULAÇÃO DO GOLPE PELO STF

Esta seria a melhor opção de todas as outras, anulava-se o golpe, a Presidenta Dilma seria reempossada e buscaria completar seu mandato, pois para isto foi eleita.

Acontece que ela teria que negociar com o mesmo Congresso recheados de parlamentares, dos melhores que o poder do dinheiro pode comprar, e que a colocaram para fora. Teria que negociar com os mesmos bandidos corruptos que lhe negaram o direito conferido pelo povo de governar o país. Esta, para você, é uma boa saída?

ASSEMBLEIA CONSTITUINTE

Uma Assembleia Constituinte presume que parlamentares seriam eleitos para fazer uma nova constituição.

A questão aqui seria a mesma de se eleger um novo Congresso sem a garantia do voto impresso e que estes votos representariam a vontade do povo, depois, que estes deputados não iriam representar as empresas e a elite nacional, em detrimento dos interesses de nosso povo, uma vez que o financiamento destes deputados ou o tempo dado a eles através de nossa mídia criminosa e as demais estruturas que temos hoje em nosso país, deixam em grande desvantagem o campo popular, ou seja, de nada adiantaria uma CONSTITUINTE sem que possamos equilibrar ou “ajustar” o real poder de forças que represente os reais interesses do povo brasileiro.

Qual o sentido de escolhermos uma Assembleia Constituinte onde a nossa elite, criminosa e apátrida, irá colocar seus representantes na maioria dos postos disponíveis, justamente para que venham a garantir seus privilégios hediondos, injustos e medievais?

bolsonaroImpeachment1

ASSEMBLEIA NACIONAL POPULAR CONSTITUINTE

O que seria uma Assembleia Nacional “Popular” Constituinte?

Ao contrário da simples “Assembleia Constituinte” onde pessoas seriam eleitas para fazer uma nova Constituição, a Assembleia Nacional “Popular” Constituinte, não seria eleita, mas sim formada por todos da população brasileira, cada cidadão, que teria como sugerir leis para regular o seu país em busca de uma vida mais justa para si mesmo.

Esta Assembleia seria formada por todos os cidadãos que tenham interesse em participar e influir nas leis que regerão nosso país.

Entidades sociais, sindicatos e centrais sindicais, entidades estudantis, MST, MTST, entidades trabalhistas como OAB, CREA, APEOESP, APLB e outros, ajudariam a organizar as propostas para que fossem sintetizadas e discutidas dentro do meio das esquerdas, para que retirássemos, ao final, um texto constitucional que abrangesse toda a nossa população e permitisse corrigir erros seculares que encontramos no Brasil hoje.

Dentre as questões que poderíamos incluir na nova Carta Magna, poderíamos ter o “imposto sobre grandes fortunas”, imposto progressivo sobre herança, teto salarial máximo, não só para a esfera pública, como, também, para empresas privadas, através do estabelecimento de limites entre o menor e o maior salário de uma empresa, por exemplo.

Imagine que se defina que a diferença entre o menor e o maior salário de uma empresa, considerando todas as vantagens e adicionais de salário, como auxílio moradia, automóvel, auxílio combustível, auxílio creche/escola, e outros, ficassem no limite de até “dez salários mínimos”, isto significaria que se a pessoa que trabalha na limpeza recebe R$ 937,00, o salário maior desta empresa seria de R$ 9.370,00, simples assim, e para que seu presidente ganhe 93.700,00 teria que pagar 9.370,00 para o ajudante de limpeza.

Leis como estas reduziriam drasticamente a enorme disparidade social e econômica que impera em nosso país.

Uma Assembleia Popular poderia chegar a um entendimento de que, o “direito de herança”, que é um dos fatores principais da manutenção das desigualdades no Brasil e em qualquer país, mundo afora, deva ser taxado de forma progressiva até um patamar de 90% do valor total deixado por uma pessoa qualquer e que os recursos arrecadados através desta taxação, devam ser direcionados para a área da Educação, que passaria a ser exclusividade do Estado e que esta seria gratuita para todos os cidadãos.

Desta forma, o fim da educação paga, pode ser uma das conclusões a que pode chegar esta Assembleia, bem como, o fim de bancos privados, que contraria a existência do próprio sistema capitalista,  na medida em que o sistema bancário,voltado para o lucro e acumulação sem limites de riquezas nas mãos de poucos, acaba por diminuir o desenvolvimento de um determinado país, como acontece no Brasil neste momento, e as recentes crises nos mostraram que é o que deve acontecer cada vez com mais frequência.

Ela poderia definir, por exemplo que, no Brasil, exista apenas bancos estatais, onde atuariam a Caixa Econômica Federal, o Banco do Brasil e o Banco Postal, independente do BB. Os demais bancos existentes no país poderiam ser incorporados por estes três.

A saúde, igualmente como a Educação, poderia ser totalmente estatal.

Discute-se os sistemas Capitalista e Comunista como se a humanidade não conseguisse criar nenhuma outra alternativa a estes dois modelos, no entanto, uma Assembleia “Popular”, poderia definir um sistema no meio termo dos dois, onde, nem o capital teria a ascendência e o poder sobre a vidas das pessoas como tem, por exemplo, numa empresa, nem o Estado, que pode estar controlado por pessoas “inadequadas” por alguns momentos.

AssembleiaConstituinteFrancesa

Hoje, com um STF recheado de criminosos, esta esfera de poder da república, considerou que a definição constitucional de TETO SALARIAL não tem sentido e não deve ser respeitada, autorizando, com isso, supersalários na esfera pública. Depois do GOLPE, agora, outra vez, vemos que não existe mais Constituição no Brasil, e ainda dizem que o STF existe para proteger a mesma.

Seja como for, de todas as situações propostas para nosso país, a que parece ser a que resolveria problemas seculares de disparidade social e de renda, causas do fosso avassalador entre as pessoas mais ricas e as mais pobres que observamos ainda hoje, em pleno século 21, e que, a continuar neste ritmo, irá aumentar ainda mais, é a proposta de Assembleia Nacional Popular Constituinte.

Após o campo da esquerda chegar a uma definição sobre qual o melhor conjunto de leis para o nosso país, esta seria colocada em votação para ser adotada como nossa nova Carta Magna e aí teríamos um país regulado de forma a dar condições a todos os cidadãos a uma vida mais justa e menos sofrida, valorizando o trabalho e a contribuição que cada um é capaz de oferecer.

Esta Assembleia “Popular”, no entanto, é de difícil articulação e execução, e exigirá tempo, paciência e dedicação, principalmente quando consideramos que a esquerda perdeu, nestes últimos anos, a penetração popular que detinha antes e isto exigirá que reaprendamos a “conversar com o povo” a falar a língua dele, pois, como o próprio LULA costuma dizer, “O povo não é o problema, é a solução”. Então que nos convençamos, de uma vez por todas deste fato, e nos voltemos a este povo para saber dele o que deseja que o seu país faça para que sua vida seja melhor.

A questão maior que se impõe a cada um de nós, além de enxergarmos a proposta de uma Assembleia Constituinte “Popular”, como a proposta que virá a nos dar, verdadeiramente, a possibilidade de vencermos os problemas seculares que temos em nosso país, é a disposição da esquerda em levá-la, corajosamente, adiante, uma vez que, mesmo quando LULA possuía formidáveis 87% de aprovação popular, e mesmo tendo estado 13 anos no governo do país, nossa esquerda não conseguiu uma forma de superar a forma anacrônica de se fazer política em nosso país e chegar junto à sua população para que, naquele momento de maior aprovação popular, fizéssemos as reformas que o nosso povo tanto anseia e merece.

Se o PT e as esquerdas do país não fizeram as mudanças que o Brasil precisava, em seu melhor momento, terá coragem de buscar o povo brasileiro agora, que não tem o governo nas mãos e sofre uma perseguição implacável da “justiça” em busca de inviabilizá-lo eleitoralmente???

Poderá LULA, se eleito for em 2018, ou nas DIRETAS JÁ, que se busca agora para um mandato “tampão” entre 2017 e 2018, executar as reformas que temos necessidade, negociando com este ou com um congresso de corruptos renovado???

PTPergunta

Esperemos que a esquerda brasileira e. inclusive, LULA, escutem, analisem e entendam, que a única saída para o Brasil, diante da grave crise que esta elite nefanda, apátrida e criminosa nos impôs, que o, “O povo não é o problema, é a solução”. e o procure para saber qual a saída que ele deseja, e, desta vez, busque implementar as ações que, verdadeiramente, venham a resolver os problemas que nos inviabilizam como nação do “presente” muito mais que uma nação de “futuro” que permanece presa aos grilhões da idade média, através de uma vida sem esperanças de dias melhores, porque as pessoas da esquerda que defendem os ideais que nosso povo aprova, não tem a coragem de dar o primeiro passo para implementá-las.

Esperemos, por fim, que como num destes milagres maravilhosos que a vida nos brinda de vez em quando, e que nos dá forças para acreditar que VALE A PENA A LUTA, que existe esperança na humanidade, uma luz ilumine nossos líderes e os militantes de nossa esquerda brasileira, e todos nós, juntos, nos levantemos contra as forças de opressão que se abate contra cada um de nós para dar um basta definitivo a tudo isto.

Em 1947, após um homem ter se levantado contra o maior império de todos os tempos, a Índia conseguiu sua independência.

Em 1959, a 01/01, uma pequena ilha se libertava de uma ditadura sanguinária, que mantinha seu país subserviente aos ditames do maior país terrorista que já conhecemos, os EUA, e se mantém livre do jugo que aprisionava e oprimia seu povo até hoje, mesmo diante de um bloqueio marítimo e comercial feroz e criminoso.

Não posso acreditar que o Brasil seja menor que qualquer destes países. Não posso crer que nosso povo, nossos líderes de esquerda e as pessoas conscientes e de sensibilidade que habitam em nosso território, sejam menos capazes do que eles foram, para libertar nosso país das forças da opressão.

Acredito em Tupã, em Deus, em Alah, em Buda, Krishna e em todos os que tombaram durante a ditadura de 1964 e lutavam por um país melhor e mais justo que nós, também, conseguiremos. Tenhamos fé.

 

A caminho, então, meu povo que a tarefa que nos aguarda é árdua, e, como diz a sabedoria oriental: “um caminho de mil quilômetros começa com o primeiro passo.”

 

Um abraço a todos os que lutam com a certeza da justiça à frente, a fraternidade no coração e o sorriso no rosto.

 

O mundo é aquilo que fazemos dele. O futuro é o que construímos.

 

Fábio Brito, Santa Catarina, Brasil.

CheGuevaraPesadelo

O FUTURO INCERTO DO BRASIL. ENTRE O GOLPE JURÍDICO-MIDIÁTICO-PARLAMENTAR, ESPERADO, E A GUERRA CIVIL, POSSÍVEL.

“Quando me desespero, e me angustio, eu me lembro que durante toda a história o caminho da verdade e do amor sempre ganharam. Tem existido tiranos e assassinos e por um tempo eles parecem invencíveis, mas no final, eles sempre caem – pense nisso, SEMPRE.”
―Mahatma Gandhi

Vivemos dias difíceis. Vemos pessoas saírem às ruas para pedir a volta dos militares, da ditadura, pedindo o impeachment ou a simples deposição de uma presidenta, recém-eleita pelo voto popular. Como chegamos a isto? O que está acontecendo a nosso país?

Acredito que precisamos retornar um pouco no tempo para que possamos entender melhor ao que acontece agora, que, de certa forma, é um clima que perdura desde as chamadas jornadas de junho, em 2013.

Há algum tempo, na primeira eleição de Lula, em 2002, um fato me chamou bastante a atenção, já naquela época. Em sua posse, diante do povo, no parlatório em frente ao Palácio do Planalto, Lula pediu aos movimentos sociais, aos sindicatos e ao povo brasileiro, que mantivesse a calma, que tivesse paciência, que aguardasse, pois seu governo iria, em breve, mostrar a que veio, através de medidas que resgatariam os brasileiros das décadas de descaso e abandono, a que foram relegados por quase todos os governos anteriores.

Ali estava a semente do problema político que vemos hoje, e tive a oportunidade de dizer, a diversos petistas, que no momento em que um governante é eleito, tendo a confiança da maioria da população e, sabendo ela, que este governo não iria enviar as tropas para cima de si, deveriam sair às ruas, para dizer o que espera de seu país e de seus governantes.

Depois de décadas tendo seus anseios sendo represados por governos hostis a ela, não se poderia pedir ao povo, aos movimentos sociais e sindicatos, que esperasse mais, não se poderia pedir para se autorrepresar ainda mais.

Ao pedir isto, Lula se colocaria nas mãos dos “300 picaretas do congresso”, sobre o qual, anos atrás, havia falado que existia. Ao pedir isto, a força do poder econômico iria dificultar, ainda mais, uma mudança nas feições do país, de forma mais profunda, arraigada e de caráter permanente.

Lula, reconhecidamente um grande político, e hábil negociador, acreditava em seu potencial de poder reunir pessoas insensatas e acostumadas ao uso do poder, da chantagem e, inclusive das armas, e buscar o equilíbrio, que nunca demonstraram ter na condução do Brasil, e convencê-las de que o povo, agora, iria sentar-se à mesa com eles, e comer do bolo em condições de igualdade, não aceitando mais as migalhas que sobravam.

Lula acreditava ser capaz de fazer a elite do país, reconhecer e aceitar, pacificamente, através da negociação, que o comando do país, a partir da sua eleição, inexoravelmente, passava a incorporar um outro ator, o povo, ali representado na figura dele, um ex torneiro mecânico, vindo de classe pobre e possuindo recursos educacionais deficientes.

A rua é do povo, e é o canal de comunicação dele com seus governantes. Mas, e quando o povo não ocupa o espaço das ruas, o que acontece? Em muitas ocasiões quem a ocupa são os soldados e os tanques, que então passam a massacrar este mesmo povo, como aconteceu em 1964, depois que multidões ocuparam as ruas e a mídia os inflava, clamando pelo golpe, para barrar as mudanças que se pretendiam para o país. Alguma semelhança com o que ocorre hoje?

Assim, dessa forma, podemos entender os movimentos que ocorreram nas chamadas ”jornadas de junho” em 2013. A mídia, a oposição e membros importantes do Judiciário, já haviam iniciado conversações há bastante tempo atrás, logo nas primeiras horas das denúncias do chamado “mensalão do PT”.

Os EUA, por trás das conversações, e orientando os participantes do complô político, que visava à retirada da esquerda do comando do Brasil, tentavam acalmar os ânimos e segurar a sofreguidão dos golpistas nacionais. É de se observar, que os títeres verde-amarelos, com o apoio dos EUA, não temessem nada, e não se preocupassem com a forma, nem o método a ser empregado, mas os EUA sabiam que não teriam, no Brasil, uma segunda Honduras. Não queriam se arriscar. Ainda que, considerando a gigantesca despolitização da população brasileira, sabiam que os fatos de 1964 não se repetiriam, era preciso prudência, aguardar o momento certo.

Quando a mídia brasileira, GLOBO aí incluída, tentou desqualificar as manifestações iniciais em 2013, logo lhes chamaram a atenção de que era a ocasião de que todos ansiavam, era preciso dar apoio total aos jovens que se lançavam às ruas, dar a estas manifestações um ar de “FORA COLLOR”, de luta contra a corrupção, de defesa da democracia.

Alguns grupos financiados com dinheiro proveniente dos EUA e outras pessoas preparadas para inflar movimentos como esses, dariam a impressão, superdimensionada pela mídia corrupta e mafiosa brasileira, de que o povo estaria contra o Governo Federal, muito embora os fatos ocorressem nos Estados, e com pauta difusa (confusa) e mais relacionadas a problemas estaduais. Não se poderia perder a oportunidade de desgastar a imagem de DILMA e do Governo Federal.

Os EUA estão numa brutal ofensiva midiática e militar, não só na América Latina, isto está acontecendo em todo GLOBO, basta ver o que acontece hoje na Ucrânia e Síria.

Só para lembrar: Os EUA não dão ponto sem nó, a primeira coisa que fazem é disseminar mentiras e causar a cisão entre aqueles que lhes oferecem alguma oposição, é aquela velha história, DIVIDIR PARA GOVERNAR.

O impressionante (talvez nem tanto) é, que esta oposição irresponsável “ao” Brasil, está fazendo, exatamente, o jogo deles.

Quando um império cai, o barulho é ensurdecedor. Preparem seus ouvidos, porque o barulho não será nos EUA, não tão cedo, o incômodo sonoro, primeiro, se escutará em suas colônias e ex-colônias (Argentina, Venezuela e Brasil, por exemplo).

Não podemos nos esquecer, que o Brasil é peça chave no tabuleiro geopolítico mundial. Não só devido ao tamanho de sua economia e da influência que exerce nos países latinos, mas, também, por ter angariado uma respeitabilidade imensa, desde o primeiro mandato de Lula em 2002.

De lá para cá, nosso país se inseriu no mundo como um “player” de importância ímpar, e tem sido um dos responsáveis pela busca de um mundo multipolar, através de criação de mecanismos e órgãos que façam frente aos já existentes e controlados por Washington e seus aliados. O banco dos BRIC’s é um exemplo.

Desta forma, não se poderia mais desprezar o Brasil nem permitir que ele se desenvolva, sem os grilhões que sempre o prenderam à esfera de influência dos EUA. Não se poderia admitir uma nova CHINA no “quintal” dos Estados Unidos. Torna-se, então, absolutamente “imperial”, que a América continue a ser dos Americanos. É preciso retirar o Brasil do jogo, neutralizá-lo.

Chegamos, então, aos dias atuais, onde, por não ter buscado o enfrentamento, e não ter forçado a implementação das políticas necessárias ao nosso país, e ao seu povo, como a reforma agrária e a democratização da mídia, entre outras, o GOLPE é defendido à luz do dia, sem que ninguém seja incomodado quanto a isto. Delegados praticam tiro ao alvo com a “foto” da Presidenta da República e todos acham “normal”.

O povo, que lá atrás deixou as ruas vazias, a pedido de seu líder maior, observa seu lugar ser ocupado por uma elite branca irresponsável, inflada por uma oposição lesa-pátria, subserviente a interesses alienígenas. O caldo de cultura para o GOLPE, está quase em temperatura máxima, quase no ponto apropriado.

A operação LAVA JATO está próximo do seu ápice. O Estado de Direito, no chão. A justiça, dominada, silenciada, controlada. Senado e Câmara Federais, absolutamente sob controle. O momento se aproxima.

Daí que todos são pegos, com perplexidade, com atitudes como a da REDE GLOBO, que passa a fazer editoriais em defesa do Estado de Direito e contra o golpismo. E aqui, o Diário do Centro do Mundo, O Cafezinho e o Tijolaço, parecem ter saído na dianteira e mostraram análises mais sensatas a respeito, TUDO NÃO PASSA DE DIVERSIONISMO, conversa pra boi dormir.

É necessário que a mídia mostre neste momento, que o GOLPE já tem moto-próprio, que já ganhou força,  uma imagem de neutralidade, tudo em nome dos negócios, afinal, está fresco na memória de seus proprietários, as imagens de seus repórteres sendo escorraçados das manifestações de junho de 2013.

O GOLPE não foi descartado, é um equivoco pensar assim. A inflexão da mídia (não apenas a globo), neste sentido, mostra, somente, que eles acreditam que o escript já está traçado, e as falas de cada um, do Judiciário, do Parlamento e da OPOSIÇÃO AO BRASIL, estão devidamente decoradas e bem ensaiadas. Cada um já sabe o que fazer e na hora que deve fazer.

O ensaio já foi feito e saiu perfeito, promessa de sucesso. É por isto que a mídia agora, irá aparentar sensatez e diminuir os ataques escandalosos contra o PT e, aqui e ali, dará abertura a críticas aos OPOSITORES DO BRASIL, de forma tímida, mas dará, e, junto a isto, mais espaço ao PT. Só sendo muito trouxa para não entender o jogo preparado.

Tudo acertado, todos combinados, resta agora colocar a peça principal em cena: GOLPE JURÍDICO-MIDIÁTICO-PARLAMENTAR.

A mídia sai de boazinha, e o golpe, transcorre como um acontecimento normal em uma democracia. É preciso dar ares de veracidade ao mesmo. É preciso que o mais ferrenho defensor de DILMA, e de LULA, fique desacreditado para defendê-los, após o JULGAMENTO FINAL. Que, no mínimo, levará Lula para a prisão, e, quem sabe, a Dilma também.

Não nos é dado saber, neste momento, qual a aposta que se faz, no entanto, estas são as duas, possíveis, opções preparadas:
1. Destruir a única pessoa com imagem e capacidade de concorrer em 2018, com chances reais de vitória, no campo popular de esquerda, Lula, e, levando juntamente a ele, a própria presidenta Dilma, ou;
2. Prender apenas Lula, e amarrar o Governo Federal, com os já controlados, Senado, Câmara e Judiciário, infligindo derrotas mortais para as pretensões da esquerda em 2018. Dessa forma, sem força para uma reação da presidenta, esta teria que colocar em prática a agenda neoliberal derrotada de Aécio Neves, para, assim, quando ganharem a eleição em 2018, ao encontrar a terra arrasada deixada pelo PT, saírem como salvadores da pátria.

O enredo está posto. Para a opinião mundial será, apenas, a cassação de mais um político de uma republiqueta de bananas qualquer, que se lambuzou com o dinheiro de seu povo.

Como podemos nos inserir contra o que já está decidido pela elite criminosa do Brasil, aliada ao que tem de pior dos EUA??? Como seria possível barrar os próximos capítulos de uma novela preparada com carinho pela nata do poder mundial e os sabujos do poder nacionais, GLOBO à frente???

Esta resposta está, agora, nas mãos de uns poucos líderes da esquerda nacional, em que ainda observamos correr sangue nas veias, porque não nos parece plausível, que os membros da cúpula petista, que não passam de “CUCARACHAS”, venham, no adiantar da hora que se esgota, e, ao se aproximar do CADAFALSO ou da GUILHOTINA, OFERECER O PESCOÇO COMO PRÊMIO A SEUS ALGOZES.

Corremos o risco de sermos deixados sozinhos, e à deriva, pelos ratos que abandonam o barco.

Nossa esperança é que, como Mahatma Gandhy um dia, nos chamou a atenção: por mais poderosos e invencíveis, que os tiranos e assassinos pareçam ser, eles, um dia, caem, e o amor e a verdade, triunfarão.

Que Deus nos proteja!!! Oremos!!!

Fábio Brito, Bahia.

 

Seguir HITLER ou GANDHI? Como saber quem é quem com os meios de comunicação que temos hoje?

Certamente, o “inferno está cheio de boas intenções”, e o mundo tem inferno por toda a parte, provavelmente até em CUBA, mas não podemos deixar de perceber, que enquanto uns propagam o pior dos infernos pelo mundo afora (EUA), com bombas e guerras, e é festejado como o paraíso, o melhor dos mundos, este outro país, a que o mundo OCIDENTAL DEMOCRÁTICO E CIVILIZADO, descreve como o inferno, está oferecendo ao mundo EDUCAÇÃO E MÉDICOS.

Nas questões políticas, assumo que tenho interesse sim, em tentar esclarecer as pessoas e fornecer a elas uma forma diferente de ver e entender aquilo tudo, que os meios de informação mafiosos, querem que assumamos como verdade absoluta e inquestionável, pois, se assim não quisesse, entendo que deveria apenas balançar a cabeça como lagartixa e deixar rolar os acontecimentos sem me manifestar. Não concordo como o mundo está hoje, logo, preciso mudá-lo.

Como escolher o lado político certo, se em todos eles a mancha da corrupção, desmandos, traições, e os piores defeitos do ser humano afloram como pragas? Como saber se, neste momento, não estou ao lado de um “HITLER” de triste história que, hoje, quase todos condenam?

Para mim é muito simples, tenho uma fórmula mágica:

  1. Estou sempre do lado dos mais fracos, das pessoas oprimidas e menos afortunadas, curiosamente estas pessoas não tem dinheiro, logo, não corrompem. Por não terem dinheiro, nem nunca ter tido, também não tiveram Educação, Saúde, e muitas outras coisas básicas, essenciais e prioritárias na vida. Além disto, talvez por não terem tido riquezas materiais, é comum encontrar mais gente boa neste nicho de viventes humanos que em outros. As pessoas são mais calorosas, sorriem mais, são mais sinceras e simples, sem afetações patéticas.
  2. Não acredito que, em política todos são iguais. Sou de esquerda e ser de esquerda, muito embora não signifique “estar certo”, significa ter “tomado posição”, ter “escolhido um lado”, que foi o que fiz no item anterior, ao me definir ao lado dos oprimidos. Alguns dizem que não “existe mais esta coisa de esquerda e direita”, e, quando escuto isto, tenho que sorrir, porque, certamente, esta pessoa que está a querer a tirar a minha posição no mundo, “é de direita”.
  3. Não me deslumbro com riqueza. Não sou exatamente uma aberração, gosto de conforto e “ser rico” não seria problema para mim, neste momento de minha vida. No entanto, jamais a busquei, por acreditar em algo mais sublime que “ter dinheiro, posses e bens”. Procurei formar o meu caráter primeiro. Caso alguém levante algo contra mim, que fale que sou desonesto, com tranquilidade, provo o contrário. Este mal que me acomete, me faz buscar as pessoas e não monumentos e coisas, leva-me a observar as atitudes das pessoas e não o que elas vestem ou as joias que as ornamentam, faz-me buscar conhecer as pessoas e não ir a um país e tirar fotos de toda construção famosa que encontrar. Quando observo coisas como Torre Eiffel, Arco do Triunfo, as Torres de Gaudí, Estátua da Liberdade ou coisas do tipo, não tenho como imaginar porque tantas pessoas tiveram que morrer e tanto sangue teve que ser derramado para que “tais coisas esplendorosas” fossem edificadas. Não me tocam, simplesmente, e acho verdadeiramente doentio que as pessoas não vejam, como eu vejo, o sangue a escorrer de cada tijolo assentado nestes monumentos. Sangue de pessoas assassinadas e sacrificadas para que tais “monstruosidades” existam.

Da mesma forma, por outro lado, crianças famélicas da África ou qualquer outro lugar do mundo não me afetam como a maioria das pessoas se deixam afetar, pelo simples motivo que decidi, lá atrás, dedicar minha existência às pessoas menos afortunadas e oprimidas. Decidi isto ao sentir meu sangue ferver com as injustiças perpetradas pelo 1% da população mundial, que deseja viver tocando os outros 99% como gado, e justificando sua opulência com o massacre destes.

Quando vejo fotos de crianças com fome e povos sendo massacrados, como os Palestinos, por exemplo, eu agradeço a Deus, pela decisão que tomei e entendo que estou no caminho certo.

  1. O poder não me domina. Mesmo sendo uma pessoa eminentemente política, jamais mergulhei na busca do poder pelo poder. Desde 1989, quando meu país começou a trilhar o caminho da redemocratização, ainda não completados, diga-se de passagem, eu voto no PT e me filiei a ele em 1994. De lá para cá, jamais procurei qualquer cargo dentro do partido, embora isto seja legítimo e não julgue quem o tenha procurado. Apenas uma única vez me candidatei, ao cargo de vereador de Potiraguá e perdi. Foi importante isto. Percebi que é preciso muito mais que boas intenções para ir além e ajudar as pessoas, é preciso muito mais para chegar ao coração das multidões. Como afirmei antes, “não busco o poder pelo poder”, desta forma tenho me preparado, estudado, trocado ideias, aprendido e procurado entender o que permite alguém poder ser escolhido para guiar um povo, um dia, quem sabe, terei a minha chance.
  2. Não acredito em pessoas ou no que elas dizem, não acredito em jornais ou em suas manchetes. Acredito em atitudes, atuais ou passadas. Leio criticamente, todos os textos que chegam até mim. Todas as pessoas, empresas e nações, têm interesses por trás de cada um e alguns podem ser muito mais sombrios do que podemos imaginar à primeira vista, e, certamente, o são. Assim, não tenho problemas em ler textos russos do Pravda, cubanos do Granma, assistir a Globo, ou ter contato com a mídia desonesta que infesta nosso planeta. Procuro saber o histórico de onde colho as informações para balancear e chegar a uma ideia minha.

Se existe uma coisa que eu conheço um pouco é sobre gente, e isto me faz duvidar até daquilo em que acredito, pois, só assim posso desconstruir e me desapegar das ideias que tenho e poder melhorar com a forma de pensar de outras pessoas.

Para mim, esta é a verdadeira base da democracia. Se eu não considerar que existam ideias melhores que as minhas e/ou que tenha uma melhor maneira de serem implementadas, permanecerei como um paquiderme doente, mergulhado na minha mesmice e poderei, até, assumir posições indefensáveis sobre qualquer aspecto que se observe.

Existem algumas personalidades que admiro e que me ensinaram algumas das coisas que acredito serem as certas: Mahatma Ghandy, Danton (revolução francesa), Sócrates, Malcolm X, Mandela, Steve Biko, Madre Teresa de Calcutá e outros.

Estar certo ou errado não depende só do ponto de vista. Creio que todos os erros que possa ter, serão “menos errados” do que de outras pessoas por colocar na prática tudo que disse acima ou, ainda, cometerei menos erros e, estes, serão menos graves, do que os de outras pessoas que se posicionam na vida de forma contrária a que eu me posiciono.

Fábio Brito, Bahia.