Arquivo da tag: hitler

Diálogos de PAZ. Em busca do fim da MATANÇA DOS PALESTINOS!!! PELA RESPONSABILIZAÇÃO E PUNIÇÃO DE ISRAEL. Pela REPARAÇÃO, necessária, aos Palestinos.

Todos nós queremos a paz e, quando vemos que existem problemas no oriente médio, principalmente entre Israel e Palestina, nos perguntamos, por que os Palestinos não conversam civilizadamente? Por que não cedem um pouco para poderem obter a paz, que é objetivo de todos? Por que tanta barbárie e terrorismo, capaz de usar homens bombas contra o povo de Israel?

Bem, se você pensa assim, sinto muito, mas tenho que lhe informar que você está cometendo um grande equívoco, e, atrás deste engano, está, também, uma GRANDE INJUSTIÇA.

Devido ao enorme desconhecimento dos fatos reais, a respeito do que ocorre entre a Palestina e Israel, você está sendo levado a acreditar que os intolerantes aqui, são os Palestinos, mas não são, e vou lhe dar as razões do que afirmo logo à frente.

Estas informações incorretas, que chegam até você, não são equívocos, senão que, uma grande e massiva PROPAGANDA, um grande merchandising, levado a cabo pelos líderes sionistas, que fizeram o mundo lhe “dar um país de graça”, logo após a Segunda Grande Guerra Mundial, devido ao sofrimento que os Judeus passaram nas mãos de Hitler. A Europa toda, se culpa por ter permitido isto acontecer. Houve, e ainda há, e é até natural que isto ocorra diante das atrocidades que aconteceram, uma comoção mundial diante dos crimes cometidos. E, devido a isto, o mundo, resolveu “dar de presente” ao povo judeu, terras na Palestina, que não lhe pertenciam, para que pudessem ter um lugar para chamar de seu. Ou seja, fizeram caridade com os bens de outras pessoas, como se, seus vizinhos, decidissem dar metade de sua casa para moradores sem teto. Você permitiria uma coisa assim?

É preciso, ainda, levar em conta que não foram apenas os Judeus que sofreram ou foram perseguidos na Segunda Guerra mundial pelos NAZISTAS. Acredita-se, que cerca de SEIS MILHÕES de Judeus foram assassinados pelos apoiadores do regime NAZISTA, mas, diante do número de vítimas da União Soviética, até este número absurdo fica pequeno e passamos a não entender muitas coisas. Ficamos confusos.

VINTE MILHÕES DE RUSSOS e cidadãos da, então, União Soviética, também morreram nesta mesma guerra. Eles existiam e, também, como os Judeus, foram assassinados. No entanto, existe uma intenção nebulosa, dos demais países vencedores, em ocultar este fato. Europeus e Estadunidenses se esforçam brutalmente para reescrever a História e tentam deletar a participação da União Soviética e a contribuição decisiva deles para a libertação da Europa e pelo fim da Guerra. Sem a ajuda dos Comunistas, o mundo poderia ser bem diferente hoje, com consequências impensáveis sobre o mundo todo. Mas eles eram “Comunistas” e, portanto, tem que ser esquecidos e seus mortos não devem ser pranteados ou lembrados.

Ciganos, negros e outros povos, também foram perseguidos e massacrados pelos alemães nazistas de então, mas, o que sabemos deles? Nada. Parece que nem existiram. Claro, se não sabemos que eles existiram e foram tão perseguidos e sofreram tanto como os Judeus, logo, o sofrimento dos Judeus passa a não ser só deles e é preciso, é absolutamente imperioso, mostrar ao mundo, que praticamente as únicas vítimas foram os Judeus.

Quem não gosta de teorias sobre conspirações, não precisa ficar sabendo que, a elite Judaica, já deveria ter um acordo com alguns dos impérios da época, Inglaterra e EUA. Não precisa saber, que as verdadeiras e importantes lideranças judias, já haviam saído da Alemanha e deixaram o seu povo como boi de piranha. Não precisa saber que eles usam, e usarão, sempre, os cadáveres do seu povo para lhes permitirem continuar a agir impunemente pelo mundo, massacrando quem se puser em seu caminho, assim como verdadeiros herdeiros de Hitler. Eles aprenderam bem, são mestres.

Com a vantagem de “SEREM O POVO ESCOLHIDO DE DEUS”, com o holocausto que sofreram, o enorme poder econômico de que dispõem, as principais empresas do mundo estão nas mãos de Sionistas, e, consequentemente, a simpatia de todos os meios de comunicação do planeta e os jornalistas a seu serviço, parlamentares comprados ou seduzidos pela versão da História, contada pelos vencedores, ELES FAZEM O QUE QUEREM SEM SER INCOMODADOS POR NINGUÉM.

A Bíblia, e logo, DEUS, estão com eles. O Holocausto e a História estão com eles. O PODER ECONÔMICO está com eles. E, se isto tudo ainda não for suficiente, O PODER DAS ARMAS ESTÃO COM ELES.

Para termos uma ideia de como as coisas verdadeiramente funcionam basta observar que os EUA estão a ameaçar o IRÃ, devido a seu programa nuclear. Impuseram sanções econômicas a eles devido a isto, mas, porque não fazer o mesmo contra Israel que leva adiante seu programa nuclear sem que ninguém os incomode?

Especula-se que o Estado de Israel deva possuir, atualmente, cerca de 200 a 400 ogivas nucleares. No entanto, ninguém pensa em impor sanções econômicas ou qualquer outra. Israel não presta contas a ninguém, não existe fiscalização alguma sobre as armas que possui, é um estado livre para fazer o que desejar, massacrar quem quiser sem prestar contas a ninguém. Um verdadeiro CÉRBERUS louco, ensandecido e muito bem armado, que ninguém se atreve a segurar, a lhe colocar freios, a lhe colocar limites.

Pobre povo Palestino!!! Triste a sua agonia!!! Ninguém intercede pelos fracos, ninguém intercede pelos pobres ou anda com eles. Todos querem tirar suas “SELFIES” com os vencedores. Todos querem estar com os poderosos. Todos sorriem felizes ao lado dos opressores, sem perceber que estão a pisar em cadáveres humanos. Que estão a colaborar do seu infortúnio, de sua extinção.

A alegação para que cedessem parte do território da palestina para os Judeus era a de que, historicamente, eles se originaram naquela região e que foram expulsos de lá e, a partir daí, se espalharam pelo mundo. Nada mais justo que permitir um povo perseguido “em todos os lugares por onde passou”, ter o direito de “voltar para casa”, não é mesmo???

Errado!!! Pense da seguinte forma, se as alegações do povo judeu estiverem certas, por que não devolver a Califórnia e o Texas ao México? Por que não devolver o Brasil aos silvícolas (índios), descendentes dos povos que existiam aqui em 1500 e todo o resto da população não ir para outro lugar?

O que o povo Palestino atual ou do ano de 1948, ou, ainda, 1900, tem a ver com a expulsão, violenta ou não, dos Judeus, pelo Egito, há mais de 3.000 (TRÊS MIL) anos atrás??? Tem lógica uma coisa destas?

Os Judeus tem conseguido enganar a opinião pública mundial devido a diversos aspectos:
Consideram-se os “ESCOLHIDOS DE DEUS”, ao menos tem milhões de pessoas em diversas religiões ao redor do mundo que disseminam esta ideia devido a “constar na Bíblia”, e esta, é uma propaganda imensa e gratuita.

“A versão bíblica da história judaica mostra que os judeus são uma nação escolhida por Deus como um povo separado e santo, guardião das leis outorgadas por Deus.” (Retirado do Wikipedia). Como alguém pode se opor a eles??? Digam-me, quem seria louco o suficiente de contestar “DEUS”, quem seria insano de contrariar seus desejos expressos no “LIVRO SAGRADO”???;

Além disto, os Judeus não perdem uma só chance, de jogar os cadáveres de seus companheiros na cara dos Europeus e do resto do mundo. Constrangem abertamente o mundo inteiro atiçando a pecha de insensível e, até, antissemita, para qualquer um que os contrarie e os conteste, e fazem isto, inclusive contra judeus e cidadãos de Israel, que se opõem contra as chacinas e massacres contra o povo Palestino.

Os sionistas passaram a ideia ao mundo de que “mesmo sendo os fracos”, a ponta mais frágil da corda, e com gigantescas provações e sacrifícios, tem vencido os “perversos Árabes”, os pagãos Árabes, os terroristas Árabes e Palestinos. Uma verdadeira luta de “Davi contra Golias”. Isto, no entanto, é uma farsa, eles nunca foram a ponta fraca nesta relação. Estão protegidos desde sempre, por grandes nações do planeta. Inglaterra e Estados Unidos, sempre estiveram por trás da formação de Israel, que lhes tem ajudado de volta, e defendido suas políticas numa região riquíssima em PETRÓLEO. Deve ser coincidência, apenas um detalhe.

Uma das formas de ajudar o “Davi”, Israel, é em ajuda direta através de bilhões de dólares que os EUA destinam a Israel. Outra, através de vendas de armas. Para se ter uma ideia o PIB, de toda a Palestina, é de cerca de SETE bilhões de dólares e só a ajuda que os EUA destinam a ISRAEL, hoje, é de U$ 3.000.000.000,00 (TRÊS BILHÕES DE DÓLARES), por ano, até o ano de 2017. Israel possui um PIB de cerca de U$ 160.000.000.000,00 (CENTO E SESSENTA BILHÕES DE DÓLARES). Ainda assim, ante um país que tem uma economia VINTE E DUAS VEZES MENOR que a sua e não possui Exército, Marinha ou Aeronáutica, precisam de ajuda econômica e militar para se defender de paus e pedras das INTIFADAS dos Palestinos.

“Há muito tempo os Estados Unidos e a Europa, líderes nesse conflito, aceitaram implicitamente que Israel tem impunidade. Por isso, pode violar sistematicamente o direito internacional, o direito humanitário e os acordos de que é signatário sem ser condenado”, afirmou.

Israel já violou 32 resoluções do Conselho de Segurança da ONU desde 1968, segundo um estudo de Steven Zines, da Universidade de San Francisco, publicado no jornal israelense Haaretz. Retirado do sítio: http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2014/08/140730_analise_israel_lk

Abaixo você poderá ter contato com alguma parte daquilo que a grande mídia mafiosa, do mundo inteiro, está nos escondendo acerca do MASSACRE DO POVO PALESTINO POR ISRAEL, que, no intuito de atingir os objetivos da propaganda deste país, é mostrado como “conflito Israelo-Palestino”. Como se fosse possível existir um conflito entre a décima maior potência bélica do planeta e uma das forças armadas mais bem treinadas do mundo, contra um país que não tem Exército, Marinha ou Aeronáutica.

Para saber mais:
http://www.brasildefato.com.br/node/11200
http://www.viomundo.com.br/politica/noam-chomsky-e-colegas-denunciam-cobertura-da-midia-sobre-gaza.html
http://www.brasildefato.com.br/node/11201
http://cartamaior.com.br/?/Editoria/Internacional/Impressoes-de-uma-visita-a-Gaza/6/26367

Depois de se informar melhor e saber o que nos escondem acerca do massacre do povo Palestino, o que temos a propor é que se identifique tudo aquilo que compramos e se rejeite os produtos fabricados ou produzidos em Israel. Um grande boicote levado adiante por cada um de nós, cidadãos do mundo, conscientes dos crimes contra o povo da Palestina. Precisamos ter em conta que, da mesma forma que o APARTHEID Sul Africano caiu, devido a iniciativas de denúncias e pressões deste tipo, podemos forçar Israel a mudar suas atitudes, buscar o diálogo e respeitar as leis internacionais.

Além do boicote contra os produtos de origem israelense, precisamos mostrar nosso apoio aos Palestinos. Em todos os lugares devemos mostrar a nossa solidariedade a eles, nas redes sociais, nas ruas, escolas, universidades, em nossas empresas, em nosso lazer. Devemos fazer o mundo entender que esta matança não pode mais continuar, que não a aceitamos mais.

Devemos, também, fazermos passeatas e pressionar nossos governantes a cancelar relações diplomáticas com Israel, como forma de levá-los, seriamente, a negociar a devolução dos territórios ocupados ilegalmente, e, além disto, permitir o retorno dos Árabes e Palestinos, expulsos de suas terras e de Israel, além de lhes indenizarem pelos problemas causados.

Nenhuma câmara de vereadores poderá ficar sem pressão popular até que a mesma edite uma moção de repúdio contra as atrocidades cometidas pelo Estado de Israel contra o povo Palestino. Nenhuma Assembléia Legislativa, Câmara de Deputados, ou o Congresso Nacional, pode deixar de editar uma moção de repúdio, ou deixar de pressionar o Governo Federal, para que se cortem as relações com o Governo de Israel, objetivando pressioná-lo a respeitar TODAS AS DELIBERAÇÕES DA ONU que tem sido desrespeitadas, unilateralmente, por Israel, e tendo a proteção dos EUA neste aspecto. Os sindicatos de trabalhadores precisam se posicionar contra o GENOCÍDIO, o APARTHEID, contra a LIMPEZA ÉTNICA, implementada por Israel, contra os MASSACRES do povo Palestino.

Devemos, todos, exigir REPARAÇÃO de Israel e dos EUA, que tem sido seus patrocinadores e incentivadores, ao vetar resoluções contra Israel na ONU, financiamento suas forças armadas e as compras de armas, promovendo sua economia e dando total suporte às políticas implementadas por este país.

Se cada um de nós acredita que é possível mudar o mundo, está na hora de encampar esta bela causa e sairmos às ruas com nossas bandeiras e a bandeira da Palestina para que ela seja uma nação livre e soberana e para que seu povo possa viver sem humilhações e privações, bloqueando, de uma vez por todas, o massacre perpetrado contra eles.

Quem condenou o atentado no Charlie Hebdo, não pode se calar agora, quem apoia o povo Cubano contra o criminoso Bloqueio a Cuba, não pode fingir que não vê, quem não tolera mais as mentiras dos EUA, para justificar invasões e bombardeios a países inteiros, com a intenção de garantir suprimento de petróleo para si, é bem vindo nesta caminhada, quem não aceita mais ver o poder da opressão triunfar num mar de calamidades, também, é bem vindo.

Paz, salam, shalom, peace.

Que Deus esteja com todos nós.

Fábio Brito, Bahia – Brasil

Seguir HITLER ou GANDHI? Como saber quem é quem com os meios de comunicação que temos hoje?

Certamente, o “inferno está cheio de boas intenções”, e o mundo tem inferno por toda a parte, provavelmente até em CUBA, mas não podemos deixar de perceber, que enquanto uns propagam o pior dos infernos pelo mundo afora (EUA), com bombas e guerras, e é festejado como o paraíso, o melhor dos mundos, este outro país, a que o mundo OCIDENTAL DEMOCRÁTICO E CIVILIZADO, descreve como o inferno, está oferecendo ao mundo EDUCAÇÃO E MÉDICOS.

Nas questões políticas, assumo que tenho interesse sim, em tentar esclarecer as pessoas e fornecer a elas uma forma diferente de ver e entender aquilo tudo, que os meios de informação mafiosos, querem que assumamos como verdade absoluta e inquestionável, pois, se assim não quisesse, entendo que deveria apenas balançar a cabeça como lagartixa e deixar rolar os acontecimentos sem me manifestar. Não concordo como o mundo está hoje, logo, preciso mudá-lo.

Como escolher o lado político certo, se em todos eles a mancha da corrupção, desmandos, traições, e os piores defeitos do ser humano afloram como pragas? Como saber se, neste momento, não estou ao lado de um “HITLER” de triste história que, hoje, quase todos condenam?

Para mim é muito simples, tenho uma fórmula mágica:

  1. Estou sempre do lado dos mais fracos, das pessoas oprimidas e menos afortunadas, curiosamente estas pessoas não tem dinheiro, logo, não corrompem. Por não terem dinheiro, nem nunca ter tido, também não tiveram Educação, Saúde, e muitas outras coisas básicas, essenciais e prioritárias na vida. Além disto, talvez por não terem tido riquezas materiais, é comum encontrar mais gente boa neste nicho de viventes humanos que em outros. As pessoas são mais calorosas, sorriem mais, são mais sinceras e simples, sem afetações patéticas.
  2. Não acredito que, em política todos são iguais. Sou de esquerda e ser de esquerda, muito embora não signifique “estar certo”, significa ter “tomado posição”, ter “escolhido um lado”, que foi o que fiz no item anterior, ao me definir ao lado dos oprimidos. Alguns dizem que não “existe mais esta coisa de esquerda e direita”, e, quando escuto isto, tenho que sorrir, porque, certamente, esta pessoa que está a querer a tirar a minha posição no mundo, “é de direita”.
  3. Não me deslumbro com riqueza. Não sou exatamente uma aberração, gosto de conforto e “ser rico” não seria problema para mim, neste momento de minha vida. No entanto, jamais a busquei, por acreditar em algo mais sublime que “ter dinheiro, posses e bens”. Procurei formar o meu caráter primeiro. Caso alguém levante algo contra mim, que fale que sou desonesto, com tranquilidade, provo o contrário. Este mal que me acomete, me faz buscar as pessoas e não monumentos e coisas, leva-me a observar as atitudes das pessoas e não o que elas vestem ou as joias que as ornamentam, faz-me buscar conhecer as pessoas e não ir a um país e tirar fotos de toda construção famosa que encontrar. Quando observo coisas como Torre Eiffel, Arco do Triunfo, as Torres de Gaudí, Estátua da Liberdade ou coisas do tipo, não tenho como imaginar porque tantas pessoas tiveram que morrer e tanto sangue teve que ser derramado para que “tais coisas esplendorosas” fossem edificadas. Não me tocam, simplesmente, e acho verdadeiramente doentio que as pessoas não vejam, como eu vejo, o sangue a escorrer de cada tijolo assentado nestes monumentos. Sangue de pessoas assassinadas e sacrificadas para que tais “monstruosidades” existam.

Da mesma forma, por outro lado, crianças famélicas da África ou qualquer outro lugar do mundo não me afetam como a maioria das pessoas se deixam afetar, pelo simples motivo que decidi, lá atrás, dedicar minha existência às pessoas menos afortunadas e oprimidas. Decidi isto ao sentir meu sangue ferver com as injustiças perpetradas pelo 1% da população mundial, que deseja viver tocando os outros 99% como gado, e justificando sua opulência com o massacre destes.

Quando vejo fotos de crianças com fome e povos sendo massacrados, como os Palestinos, por exemplo, eu agradeço a Deus, pela decisão que tomei e entendo que estou no caminho certo.

  1. O poder não me domina. Mesmo sendo uma pessoa eminentemente política, jamais mergulhei na busca do poder pelo poder. Desde 1989, quando meu país começou a trilhar o caminho da redemocratização, ainda não completados, diga-se de passagem, eu voto no PT e me filiei a ele em 1994. De lá para cá, jamais procurei qualquer cargo dentro do partido, embora isto seja legítimo e não julgue quem o tenha procurado. Apenas uma única vez me candidatei, ao cargo de vereador de Potiraguá e perdi. Foi importante isto. Percebi que é preciso muito mais que boas intenções para ir além e ajudar as pessoas, é preciso muito mais para chegar ao coração das multidões. Como afirmei antes, “não busco o poder pelo poder”, desta forma tenho me preparado, estudado, trocado ideias, aprendido e procurado entender o que permite alguém poder ser escolhido para guiar um povo, um dia, quem sabe, terei a minha chance.
  2. Não acredito em pessoas ou no que elas dizem, não acredito em jornais ou em suas manchetes. Acredito em atitudes, atuais ou passadas. Leio criticamente, todos os textos que chegam até mim. Todas as pessoas, empresas e nações, têm interesses por trás de cada um e alguns podem ser muito mais sombrios do que podemos imaginar à primeira vista, e, certamente, o são. Assim, não tenho problemas em ler textos russos do Pravda, cubanos do Granma, assistir a Globo, ou ter contato com a mídia desonesta que infesta nosso planeta. Procuro saber o histórico de onde colho as informações para balancear e chegar a uma ideia minha.

Se existe uma coisa que eu conheço um pouco é sobre gente, e isto me faz duvidar até daquilo em que acredito, pois, só assim posso desconstruir e me desapegar das ideias que tenho e poder melhorar com a forma de pensar de outras pessoas.

Para mim, esta é a verdadeira base da democracia. Se eu não considerar que existam ideias melhores que as minhas e/ou que tenha uma melhor maneira de serem implementadas, permanecerei como um paquiderme doente, mergulhado na minha mesmice e poderei, até, assumir posições indefensáveis sobre qualquer aspecto que se observe.

Existem algumas personalidades que admiro e que me ensinaram algumas das coisas que acredito serem as certas: Mahatma Ghandy, Danton (revolução francesa), Sócrates, Malcolm X, Mandela, Steve Biko, Madre Teresa de Calcutá e outros.

Estar certo ou errado não depende só do ponto de vista. Creio que todos os erros que possa ter, serão “menos errados” do que de outras pessoas por colocar na prática tudo que disse acima ou, ainda, cometerei menos erros e, estes, serão menos graves, do que os de outras pessoas que se posicionam na vida de forma contrária a que eu me posiciono.

Fábio Brito, Bahia.