Arquivo da tag: supersalários

Brasil: Um país por fazer!!!

“Não espere por líderes, faça você mesmo, pessoa por pessoa”

e verás que o resultado que esperavas, está, agora,

diante de seus olhos.

Madre Teresa de Calcutá e Fábio Brito.

 

 

A esquerda não aprende com seus erros, infelizmente!

Muitos companheiros não admitem críticas. Consideram que quem critica alguém da esquerda é um “quinta coluna” e, por isto, ao agir assim, a esquerda estará, para sempre condenada, ou a agir ditatorialmente, ou a repetir os mesmos erros, levando bordoada pelas costas, ao invés de ter o controle confortável de uma determinada sociedade, pois que seus ideais abrangem, ao menos, os desejos de 80% de qualquer país.

Contra críticas há um remédio infalível: respostas com “argumentos” críveis, mas, ao invés disto, para pessoas que não tem conhecimento, não estão acostumados ao debate, ou, simplesmente, não são democráticas, apesar de se definirem “do lado certo da humanidade”, é mais fácil desqualificar a pessoa que apresenta uma tese contrária às ideias contidas em seu pequeno mundo de fantasia, onde, ao lado das esquerdas só existem coisas boas, gente abnegada e santa.

As estratégias usadas por várias pessoas quando uma crítica apresentada põe em xeque seu modo de pensar e agir, e a retira, consequentemente, de seu modo preguiçoso e confortável de se portar diante do mundo são várias:

Algumas pessoas tentam desqualificar a mesma, admitindo ser até simpática ao questionamento proposto, mas que o mesmo não está sendo feito no tempo ou da forma correta, e, se o mesmo for levado adiante, irá enfraquecer todo o grupo e dispersar forças necessárias e que deveriam ser canalizadas a uma outra situação. Ao final nada se discute e se mantém a postura anterior.

Em outra situação,alega-se que não se encontram “no fórum” adequado ou que a simples divulgação de uma determinada crítica irá estabelecer a divisão e dispersão de parte do grupo e enfraquecer “a causa” que os une.

Criticar uma crítica alegando que a pessoa que critica não aceita críticas, é outra forma de se tentar desqualificar a crítica,por mais absurda que se possa entender esta atitude tortuosa.

MahatmaGandhi-Luz

A crítica bem fundamentada,no entanto, é um fator de alerta sobre o destino que vai nos levar uma atitude errada, que pode trazer consequências que não esperávamos e que não havíamos percebido antes, no entanto, quando estamos no calor de uma determinada situação, é muito difícil percebermos que estamos a agir errado.

A melhor forma de agirmos diante de uma crítica é estarmos aberto a elas e preparados sobre o assunto que se propõe a nós, admitindo que nossas ideias e conceitos não são os únicos, os melhores e que os mesmos podem ser melhorados com a forma de pensar e agir que uma outra pessoa tem, porque, este, afinal, é o modo democrático de agir, aceitar a opinião de outras pessoas, mesmo que, num primeiro momento, esta pareça absurda ou inexequível, parando um momento para refletir sobre a mesma e adotando-a em parte ou no todo, para que possamos aperfeiçoar e obter sucesso naquilo a que nos dedicamos.

MahatmaGandhi-Esforço

Quem representa ao menos 80% de uma população não tem a menor condição de passar pelo que passamos no Brasil neste momento, por isto, eu não defendo nenhuma das proposições que estão postas para se resolver a grave situação política, como se alguma delas fossem resolver os problemas históricos e seculares que nosso país tem.

Todas as propostas apresentadas para resolver o problema político que vemos no Brasil hoje, e que a cada dia se aprofunda mais, são apenas “soluções” paliativas, que visam, novamente, a esconder o problema principal. Irão apenas esconder a chama, mas, no entanto, quando uma leve brisa passar por esta chama, o país poderá se incendiar de vez e podemos não encontrar mais o nosso caminho de volta para casa.

ELEIÇÃO INDIRETA

Uma “eleição indireta” será considerada, por toda a população, apenas como um GOLPE 2.0, onde um agrupamento de políticos substituirá outro no comando do país, no intuito de aprofundar as reformas neoliberais que Washington dita aos nossos nobres parlamentares, comprados sob medida, para levar ao esfacelamento de nossas fronteiras e sacramentar a divisão do Brasil, embora a inteligência dos mesmos não lhes permita antever quais os reais interesses que estão movendo as suas cordas. Quando os fantoches do dinheiro sujo estadunidense e empresarial acordarem, nosso país só restará como lembrança em livros de história esquecidos e amarelados em prateleiras.

Além do mais, como se faria esta eleição indireta? Temer pediria ao Congresso para fazê-la? Não parece ser inteligente esta ideia.

A outra possibilidade de haver eleição indireta seria a cassação da chapa Dilma Temer, o que resultaria na condenação da Presidenta Dilma, será que existe alguém desejando que isto aconteça de verdade?

ImpeachmentDeputados

ELEIÇÕES DIRETAS JÁ

Ainda que esta seja uma opção melhor que a anterior, eleição indireta realizada por um Congresso comprovadamente corrupto e comprado por financiamento privado de empresas, esta opção teria que ser realizada para os cargos executivos e para os legislativos de todo o país, presidente, governadores deputados estaduais e federais e senadores.

Uma eleição direta apenas para presidente, ou mesmo para deputados federais e senadores, não resolverá o problema, uma vez que os golpistas de ontem, e que derrubaram a presidente DILMA, continuariam no Congresso e com os mesmos interesses em dificultar a governabilidade do país, porque, afinal, quanto pior for o desempenho do governo, sendo ele de esquerda, melhor para toda a laia golpista que infesta o país.

Um outro problema que teríamos com uma eleição direta, seja ela ampla para todos os cargos citados acima ou apenas para Planalto, seria a legitimidade da mesma, ou alguém acredita que estas eleições em urnas eletrônicas já não estão sendo fraudadas há tempos??? Recordem que o presidente do TSE que levaria a mesma adiante é o Sr. GILMAR MENDES, um dos principais responsáveis pela blindagem do PSDB na justiça brasileira e protetor de criminosos e corruptos de grande cepa.

GilmarSilencio1

Uma eleição, como as brasileiras tem sido, onde não se pode recontar votos na forma mecânica, com o voto impresso nas urnas eletrônicas, será uma eleição com resultado pautado no “que o juiz disser que foi” e nada mais poderá ser discutido, e, convenhamos, um país como o Brasil, como o momento atual mostra, não pode mais ter uma eleição “apenas para constar”, sem a certeza de que o seu resultado reflete a exata opinião de seu povo. Se esta eleição nova tiver um resultado apertado como a última foi a celeuma irá continuar mais grave ainda, com nenhum dos lados aceitando o resultado.

É bom que se recorde que este povo tem sido heroico na resistência ao enorme aparato que a direita, juntamente com a elite, tem sob seu controle, e tem dado vitórias expressivas à esquerda. O povo brasileiro é bombardeado diuturnamente com notícias falsas de nossa grande imprensa, que funciona como a parabólica do ex Ministro da Fazenda de Itamar Franco, Rubens Ricupero, mostra aquilo que é bom para a direita, a elite brasileira e seus empresários corruptores e desce a madeira nos partidos de esquerda, escondendo as notícias boas que ocorrem em seus governos e mostrando as ruins ou mesmo as inventando.

Sem que haja uma mudança imediata na justiça eleitoral brasileira, onde se possa averiguar a “posteriori”, os votos que cada eleitor deu para seu candidato, através da impressão “in loco” de seu voto, todas as eleições que houverem no Brasil, de agora em diante, carregarão a suspeita de fraude, uma vez que a justiça brasileira está enodoada pela ação deletéria do STF diante do GOLPE, perpetrado contra uma Presidenta honesta, por um grupo de bandidos.

ANULAÇÃO DO GOLPE PELO STF

Esta seria a melhor opção de todas as outras, anulava-se o golpe, a Presidenta Dilma seria reempossada e buscaria completar seu mandato, pois para isto foi eleita.

Acontece que ela teria que negociar com o mesmo Congresso recheados de parlamentares, dos melhores que o poder do dinheiro pode comprar, e que a colocaram para fora. Teria que negociar com os mesmos bandidos corruptos que lhe negaram o direito conferido pelo povo de governar o país. Esta, para você, é uma boa saída?

ASSEMBLEIA CONSTITUINTE

Uma Assembleia Constituinte presume que parlamentares seriam eleitos para fazer uma nova constituição.

A questão aqui seria a mesma de se eleger um novo Congresso sem a garantia do voto impresso e que estes votos representariam a vontade do povo, depois, que estes deputados não iriam representar as empresas e a elite nacional, em detrimento dos interesses de nosso povo, uma vez que o financiamento destes deputados ou o tempo dado a eles através de nossa mídia criminosa e as demais estruturas que temos hoje em nosso país, deixam em grande desvantagem o campo popular, ou seja, de nada adiantaria uma CONSTITUINTE sem que possamos equilibrar ou “ajustar” o real poder de forças que represente os reais interesses do povo brasileiro.

Qual o sentido de escolhermos uma Assembleia Constituinte onde a nossa elite, criminosa e apátrida, irá colocar seus representantes na maioria dos postos disponíveis, justamente para que venham a garantir seus privilégios hediondos, injustos e medievais?

bolsonaroImpeachment1

ASSEMBLEIA NACIONAL POPULAR CONSTITUINTE

O que seria uma Assembleia Nacional “Popular” Constituinte?

Ao contrário da simples “Assembleia Constituinte” onde pessoas seriam eleitas para fazer uma nova Constituição, a Assembleia Nacional “Popular” Constituinte, não seria eleita, mas sim formada por todos da população brasileira, cada cidadão, que teria como sugerir leis para regular o seu país em busca de uma vida mais justa para si mesmo.

Esta Assembleia seria formada por todos os cidadãos que tenham interesse em participar e influir nas leis que regerão nosso país.

Entidades sociais, sindicatos e centrais sindicais, entidades estudantis, MST, MTST, entidades trabalhistas como OAB, CREA, APEOESP, APLB e outros, ajudariam a organizar as propostas para que fossem sintetizadas e discutidas dentro do meio das esquerdas, para que retirássemos, ao final, um texto constitucional que abrangesse toda a nossa população e permitisse corrigir erros seculares que encontramos no Brasil hoje.

Dentre as questões que poderíamos incluir na nova Carta Magna, poderíamos ter o “imposto sobre grandes fortunas”, imposto progressivo sobre herança, teto salarial máximo, não só para a esfera pública, como, também, para empresas privadas, através do estabelecimento de limites entre o menor e o maior salário de uma empresa, por exemplo.

Imagine que se defina que a diferença entre o menor e o maior salário de uma empresa, considerando todas as vantagens e adicionais de salário, como auxílio moradia, automóvel, auxílio combustível, auxílio creche/escola, e outros, ficassem no limite de até “dez salários mínimos”, isto significaria que se a pessoa que trabalha na limpeza recebe R$ 937,00, o salário maior desta empresa seria de R$ 9.370,00, simples assim, e para que seu presidente ganhe 93.700,00 teria que pagar 9.370,00 para o ajudante de limpeza.

Leis como estas reduziriam drasticamente a enorme disparidade social e econômica que impera em nosso país.

Uma Assembleia Popular poderia chegar a um entendimento de que, o “direito de herança”, que é um dos fatores principais da manutenção das desigualdades no Brasil e em qualquer país, mundo afora, deva ser taxado de forma progressiva até um patamar de 90% do valor total deixado por uma pessoa qualquer e que os recursos arrecadados através desta taxação, devam ser direcionados para a área da Educação, que passaria a ser exclusividade do Estado e que esta seria gratuita para todos os cidadãos.

Desta forma, o fim da educação paga, pode ser uma das conclusões a que pode chegar esta Assembleia, bem como, o fim de bancos privados, que contraria a existência do próprio sistema capitalista,  na medida em que o sistema bancário,voltado para o lucro e acumulação sem limites de riquezas nas mãos de poucos, acaba por diminuir o desenvolvimento de um determinado país, como acontece no Brasil neste momento, e as recentes crises nos mostraram que é o que deve acontecer cada vez com mais frequência.

Ela poderia definir, por exemplo que, no Brasil, exista apenas bancos estatais, onde atuariam a Caixa Econômica Federal, o Banco do Brasil e o Banco Postal, independente do BB. Os demais bancos existentes no país poderiam ser incorporados por estes três.

A saúde, igualmente como a Educação, poderia ser totalmente estatal.

Discute-se os sistemas Capitalista e Comunista como se a humanidade não conseguisse criar nenhuma outra alternativa a estes dois modelos, no entanto, uma Assembleia “Popular”, poderia definir um sistema no meio termo dos dois, onde, nem o capital teria a ascendência e o poder sobre a vidas das pessoas como tem, por exemplo, numa empresa, nem o Estado, que pode estar controlado por pessoas “inadequadas” por alguns momentos.

AssembleiaConstituinteFrancesa

Hoje, com um STF recheado de criminosos, esta esfera de poder da república, considerou que a definição constitucional de TETO SALARIAL não tem sentido e não deve ser respeitada, autorizando, com isso, supersalários na esfera pública. Depois do GOLPE, agora, outra vez, vemos que não existe mais Constituição no Brasil, e ainda dizem que o STF existe para proteger a mesma.

Seja como for, de todas as situações propostas para nosso país, a que parece ser a que resolveria problemas seculares de disparidade social e de renda, causas do fosso avassalador entre as pessoas mais ricas e as mais pobres que observamos ainda hoje, em pleno século 21, e que, a continuar neste ritmo, irá aumentar ainda mais, é a proposta de Assembleia Nacional Popular Constituinte.

Após o campo da esquerda chegar a uma definição sobre qual o melhor conjunto de leis para o nosso país, esta seria colocada em votação para ser adotada como nossa nova Carta Magna e aí teríamos um país regulado de forma a dar condições a todos os cidadãos a uma vida mais justa e menos sofrida, valorizando o trabalho e a contribuição que cada um é capaz de oferecer.

Esta Assembleia “Popular”, no entanto, é de difícil articulação e execução, e exigirá tempo, paciência e dedicação, principalmente quando consideramos que a esquerda perdeu, nestes últimos anos, a penetração popular que detinha antes e isto exigirá que reaprendamos a “conversar com o povo” a falar a língua dele, pois, como o próprio LULA costuma dizer, “O povo não é o problema, é a solução”. Então que nos convençamos, de uma vez por todas deste fato, e nos voltemos a este povo para saber dele o que deseja que o seu país faça para que sua vida seja melhor.

A questão maior que se impõe a cada um de nós, além de enxergarmos a proposta de uma Assembleia Constituinte “Popular”, como a proposta que virá a nos dar, verdadeiramente, a possibilidade de vencermos os problemas seculares que temos em nosso país, é a disposição da esquerda em levá-la, corajosamente, adiante, uma vez que, mesmo quando LULA possuía formidáveis 87% de aprovação popular, e mesmo tendo estado 13 anos no governo do país, nossa esquerda não conseguiu uma forma de superar a forma anacrônica de se fazer política em nosso país e chegar junto à sua população para que, naquele momento de maior aprovação popular, fizéssemos as reformas que o nosso povo tanto anseia e merece.

Se o PT e as esquerdas do país não fizeram as mudanças que o Brasil precisava, em seu melhor momento, terá coragem de buscar o povo brasileiro agora, que não tem o governo nas mãos e sofre uma perseguição implacável da “justiça” em busca de inviabilizá-lo eleitoralmente???

Poderá LULA, se eleito for em 2018, ou nas DIRETAS JÁ, que se busca agora para um mandato “tampão” entre 2017 e 2018, executar as reformas que temos necessidade, negociando com este ou com um congresso de corruptos renovado???

PTPergunta

Esperemos que a esquerda brasileira e. inclusive, LULA, escutem, analisem e entendam, que a única saída para o Brasil, diante da grave crise que esta elite nefanda, apátrida e criminosa nos impôs, que o, “O povo não é o problema, é a solução”. e o procure para saber qual a saída que ele deseja, e, desta vez, busque implementar as ações que, verdadeiramente, venham a resolver os problemas que nos inviabilizam como nação do “presente” muito mais que uma nação de “futuro” que permanece presa aos grilhões da idade média, através de uma vida sem esperanças de dias melhores, porque as pessoas da esquerda que defendem os ideais que nosso povo aprova, não tem a coragem de dar o primeiro passo para implementá-las.

Esperemos, por fim, que como num destes milagres maravilhosos que a vida nos brinda de vez em quando, e que nos dá forças para acreditar que VALE A PENA A LUTA, que existe esperança na humanidade, uma luz ilumine nossos líderes e os militantes de nossa esquerda brasileira, e todos nós, juntos, nos levantemos contra as forças de opressão que se abate contra cada um de nós para dar um basta definitivo a tudo isto.

Em 1947, após um homem ter se levantado contra o maior império de todos os tempos, a Índia conseguiu sua independência.

Em 1959, a 01/01, uma pequena ilha se libertava de uma ditadura sanguinária, que mantinha seu país subserviente aos ditames do maior país terrorista que já conhecemos, os EUA, e se mantém livre do jugo que aprisionava e oprimia seu povo até hoje, mesmo diante de um bloqueio marítimo e comercial feroz e criminoso.

Não posso acreditar que o Brasil seja menor que qualquer destes países. Não posso crer que nosso povo, nossos líderes de esquerda e as pessoas conscientes e de sensibilidade que habitam em nosso território, sejam menos capazes do que eles foram, para libertar nosso país das forças da opressão.

Acredito em Tupã, em Deus, em Alah, em Buda, Krishna e em todos os que tombaram durante a ditadura de 1964 e lutavam por um país melhor e mais justo que nós, também, conseguiremos. Tenhamos fé.

 

A caminho, então, meu povo que a tarefa que nos aguarda é árdua, e, como diz a sabedoria oriental: “um caminho de mil quilômetros começa com o primeiro passo.”

 

Um abraço a todos os que lutam com a certeza da justiça à frente, a fraternidade no coração e o sorriso no rosto.

 

O mundo é aquilo que fazemos dele. O futuro é o que construímos.

 

Fábio Brito, Santa Catarina, Brasil.

CheGuevaraPesadelo