MISOGINIA – Não Finja Que Não Vê!!!

Devemos denunciar e combater todos os tipos de violência,

a cultura do estupro e a MISOGINIA. Respeito às mulheres!!!

 

Certa feita, recebi de minha namorada, um e-meio em que relatava uma mensagem enviada pelo ex-namorado de sua melhor amiga.

Indignado em como pode uma pessoa perder tempo maquinando uma crueldade com outra pessoa, por mais que se sinta magoada com a atitude desta pessoa, resolvi “responder” a carta, de acordo com os sentimentos que afloraram em mim.

 

O MENOR CONTO DE FADAS DO MUNDO

Era uma vez um rapaz que pediu uma linda garota em casamento:
-Você quer se casar comigo?

Ela respondeu:

-NÃO!
E o rapaz viveu feliz para sempre, foi pescar, jogou futebol, conheceu muitas outras garotas, visitou muitos lugares, sempre estava sorrindo e de bom humor, nunca lhe faltava grana, bebia cerveja com os amigos sempre que estava com vontade e ninguém mandava nele.

…A moça teve celulite, varizes, os peitos caíram e ficou sozinha….

FIM

 

O MAIS REAL CONTO DE FADAS DO MUNDO

Era uma vez uma menina que foi pedida em casamento por seu “então” namorado…

– Você quer se casar comigo? disse ele…

-Não! respondeu ela…

E o rapaz viveu feliz para sempre…

Foi pescar, finalmente descobriu que adora pescar, então sempre pegava a vara dos outros emprestada, era todo alegria, serelepe e saltitante…

Conheceu muitas outras garotas, mas nenhuma delas cometeu a insanidade de casar com ele até agora, um dia acontece, não é? Tem louco pra tudo neste mundo!!!

Visitou muitos lugares, mas conhecer de verdade acho que ele não perdeu tempo com isto, afinal, aproveitava o tempo nestes lugares para pescar… Como ele era feliz fazendo isto, ahhhh, segurar a vara dos outros era tão bom!!! E ele estava vivendo o conto de fadas que sempre sonhara…

Jogar futebol era uma coisa que também adorava… Correr atrás de bolas e varas, era realmente muito legal para ele em seu conto de fadas… Sempre ficava a sonhar pelas noites afora em como era feliz jogando futebol, aqueles seus colegas todos, quase pelados correndo atrás dele, suados fungando em seu cangote… Era uma sensação indescritível, parecia que todos o queriam ao mesmo tempo. Assim, sempre estava sorrindo e de bom humor.

Nunca lhe faltava grana, quando estava perto de acontecer isto, ia para a esquina com os “amigos” e logo descolava uma para beber com os “amigos” sempre que estava com vontade, assim como um “doguizinho” com vontade de fazer xixi no poste…

Ninguém mandava nele. Não tinha nenhuma mulher para lhe dizer o que fazer… Nunca entendia porque elas não desejavam mandar nele, afinal, todas as mulheres eram generais, pensava ele com a sua cabecinha, entretido com os botõezinhos…

E a moça? A moça teve celulites, varizes, os peitos caíram e ficou sozinha, afinal, melhor sozinha que mal acompanhada, não é mesmo? Isto a gente aprende desde criança com a vovozinha… Mas, apesar dos fatos naturais da vida, como a velhice, inexorável na vida de todos que, invariavelmente, nos fará ficar menos belos que na época da juventude, ela também, era feliz.

Esperava o dia que encontraria um “homem” de verdade, que a amasse, que soubesse “fazer amor” com ela respeitando suas vontades e desejos e buscando lhe dar prazer como ela merecia.

Esperava que esta pessoa, mesmo não concordando com ela em muitas coisas, respeitasse seu modo de ser e pensar e que quando vissem que não deu certo este rapaz não perdesse tempo lhe escrevendo cartas bobas, coisa de criança mimada que está perdida na vida sem a mamãe para lhe dar colo.

Afinal de contas mesmo quando encontramos a pessoa “certa”, sabia a garota, nem sempre é garantia de viver eternamente com ela, pois os caminhos e os interesses mudam e, o que importa mesmo num relacionamento é ser feliz até onde se pode ir e, quando acaba, preservar este laço como uma amizade mantendo o respeito e a dignidade da outra pessoa.

FIM

Fábio Brito.

 

Coloco o episódio destas cartas para iniciarmos uma reflexão. Por quê o nosso mundo é tão machista e os homens são tão cruéis com as mulheres? E por quê o machismo é tão arraigado nas mais diversas sociedades?

Na maior parte dos países as mulheres ou representam a metade da população ou estão, levemente, em maioria numérica, como se justifica isto, então?

Em minha experiência pessoal, o que posso dizer é que, muitas vezes, este machismo é, inexplicavelmente, transmitido pelas próprias mulheres, como um dia, lá pelos meus longínquos dezesseis anos, fez a minha mãe, ao sugerir uma atitude que considerei machista, ao lhe relatar que estava saindo com uma pessoa que tinha o dobro da minha idade, 32 anos, e que era casada.

Ora, se é uma mulher casada e está buscando uma aventura, já se julga como uma “vagabunda”, uma pessoa sem caráter e enquanto o homem que tem o mesmo tipo de atitude é visto como uma coisa normal e é festejado pelos colegas como um “garanhão” um “pegador”.

No meu caso particular, não tivemos relação sexual e, hoje, vejo aqueles momentos com especial carinho de uma relação entre e um adolescente e uma mulher que, possivelmente, não recebia a atenção e o carinho da pessoa com quem vivia. No entanto, não posso deixar de recordar que, nas conversas que tive com ela, esta me confidenciou que a sua forma de pensar era, basicamente, a mesma que a minha mãe tinha e que pretendia educar seu filho dessa forma.

Sei que o mais fácil na vida é repetirmos o padrão daquilo que nos ocorreu sem pensar direito sobre as situações, daí nascem as tradições, mesmo as mais horrendas, como a mutilação a que milhões de mulheres são submetidas pelo mundo afora porque, na sociedade em que vivem, isto é “normal”.

d98b8212180173-56258850e29c81

Geralmente o nosso mundo alcança até onde nossos interesses atingem e nossas experiências nos levam, considerando que os sentimentos pelos quais vivenciamos diretamente irão nos mover de forma mais direta. Fato é que, se não temos um câncer, dificilmente iremos nos mover na direção de mobilizar pessoas para se preocuparem com este problema.

Vivemos, no entanto, num mundo em que as informações estão ao nosso dispor a apenas alguns click”s e ficamos sabendo de diversas situações de injustiças contra a qual não podemos simplesmente nos calar, fechar os olhos, dar de ombros e virar as costas como que imaginando que, num passe de mágica, aquilo não mais existe e não nos deixaremos afetar pelo que ficamos sabendo.

Se somos verdadeiramente, SERES HUMANOS, precisamos exigir um pouco mais de nós mesmos e começarmos a ser solidários com as pessoas e grupos humanos que estão sendo vítimas de violências cotidianas como os negros, os homossexuais, as crianças, as mulheres e todos os demais, mesmo que não pertençamos a nenhum deles e que estes problemas não nos atinjam diretamente.

Ao nos calar diante de injustiças contra pessoas e grupos, sabendo do que está acontecendo, deixamos de pertencer à verdadeira HUMANIDADE  para nos perfilar a figuras históricas como Hitler e outros tantos que provocaram flagelos e atrocidades pelos tempos mortos e seguirão a promover outros nos tempos nascedouros.

 

Peço, portanto, a você que está a ler este texto agora, que não feche o livro e o guarde na estante, abra a discussão com todos os seus amigos levando este texto até a eles através do compartilhamento. Comente dizendo sobre o que você acha do assunto, nos indique algum livro que aborde o tema, literário (ficcional ou não) ou, ainda, um livro técnico. Nos informe de um filme que tenha assistido e que o tenha tocado e despertado de alguma forma para o tema em questão.

Vamos, dessa forma, ampliar o debate sobre a questão do machismo e todas as suas consequências e questioná-lo, buscando o seu fim e a conquista de uma sociedade mais justa e igualitária para todos.

Abaixo divulgo uma série de filmes e documentários que abordam o tema do machismo em suas várias vertentes: violência doméstica, cerceamento de direitos, feminicídio, assédio sexual e outros.

Fábio Brito – Santa Catarina, Brasil.

P.S.: Além do Dia Internacional da Mulher, desde 1999 o dia 25 de novembro foi chancelado pela ONU como o Dia Internacional da Eliminação da Violência Contra as Mulheres. Esta data foi escolhida como forma de prestar uma homenagem às irmãs Mirabal, da República Dominicana, brutalmente assassinadas quando lutavam contra a ditadura em seu país.

É necessário se dizer que, de acordo com várias estatísticas, uma em cada quatro mulheres terá sido abusada sexualmente, sendo que cerca de 120 milhões de mulheres já foram submetidas a mutilações genitais. logo, este assunto diz respeito direto a cada um de nós que não podemos nos calar diante de um problema de tal gravidade.

 

No Tempo das Borboletas – Na República Dominicana que era governada por um ditador sanguinário sustentado pelo governo dos EUA, as irmãs Mirabal, Patria Mercedes Mirabal , Minerva Argentina Mirabal  e Antonia María Teresa Mirabal, lutaram contra a tirania do seu país fazendo parte de uma oposição que buscava devolver a liberdade a seu povo. Las Mariposas, como ficaram conhecidas, foram presas e torturadas várias vezes, mas nunca desistiram de seus ideais e, quando as 3 foram mortas brutalmente num canavial, a mando de Trujillo, o ditador, gerou uma comoção mundial que levou o seu povo a se levantar contra o criminoso que os governava, e este fato levou a seu assassinato a 30/05/1961.

Monster, Desejo Assassino – Com Charlize Theron, relata a história de uma prostituta que, estuprada por um cliente, consegue se soltar e o mata, despertando, após este fato, para a necessidade de mudar de vida e buscar um emprego, onde poderia viver decentemente e em paz com a garota que amava.

Meninos Não Choram – Conta a história de uma garota que se descobre homossexual e se veste como garoto, buscando a amizade de outros rapazes e descobrindo o amor com uma garota, que, ao se entregarem a este relacionamento e terem a relação de ambas descoberta pelos rapazes, estes resolvem estuprá-la para dar uma “lição” e não se fazer passar mais por garoto e não enganar mais ninguém.

A Cor Púrpura – Relata a história de Celie, uma negra estadunidense estuprada por seu próprio pai e depois vendida a outra pessoa que mantém a rotina de violências contra a mesma.

Histórias Cruzadas – Uma mulher busca dar voz às mulheres negras nos Estados Unidos da década de 60 que viviam sobre forte racismo. A garota, que trabalhava como empregada doméstica em casa de famílias brancas, como milhares de outras iguais a ela, deseja ser jornalista e resolve escrever um livro sobre as perspectivas das mulheres negras que cuidam dos filhos das pessoas brancas.

Terra Fria – Conta a história de uma mulher que abandona o marido que a espancava e busca trabalho para sustentar seus dois filhos. Ao encontrar trabalho numa mina de ferro, passa a sofrer com abusos masculinos que passam de xingamentos e tentativas de humilhações a investidas sexuais. A personagem é levada a abrir uma ação judicial contra a empresa e governo dos EUA, sendo esta a primeira ação coletiva por assédio sexual nos EUA.

As Sufragistas – “Inspirado no movimento sufragista do final do século XIX e início do XX, na Inglaterra, o drama “As Sufragistas” retrata a vida de um grupo de mulheres que resistia à opressão de forma passiva, sendo ridicularizadas e ignoradas pelos homens. A partir do momento em que começam a encarar uma crescente agressão da polícia, elas decidem se rebelar publicamente. Um dia, após sair da lavanderia em que trabalha, Maud se assusta com o caos de um protesto e acaba reconhecendo uma companheira de trabalho entre os manifestantes. A partir desse momento, a personagem decide reivindicar seus direitos como mulher e a lutar por sua dignidade” retirado do GOOGLE.

Flor do Deserto – Relata o drama de uma modelo que sofrera a terrível mutilação genital em sua infância, admitida ainda em muitos países, e que foi forçada a fugir do seu país por não querer se submeter a um casamento arranjado por seus pais, indo parar em Londres, conseguindo trabalho na embaixada da Somália nesta cidade.

A Informante – Relata a história de uma policial escalada para trabalhar na Bósnia pela ONU e que descobre uma rede de tráfico de mulheres para fins de exploração sexual. Ela incomoda a pessoas poderosas que buscam encobrir a situação mas ela não desiste das investigações.

Acusados – História que versa sobre o estupro de uma jovem, por um grupo de homens num bar dos EUA, e que resolve denunciar a agressão de que fora vítima, mesmo sem ter testemunhas. Podemos ver no filme os inúmeros preconceitos e o descrédito a que é submetida pelo sistema judicial dos EUA, onde é colocada sob suspeita de que suas ações é que teriam provocado o estupro.

Revolução em Dagenham – Relata a busca por melhores condições salariais na década de 60, e o fim da discriminação sexual, a partir de uma fábrica da Ford na Inglaterra e que foi fundamental para que o parlamento britânico reconhecesse através do Projeto de Paridade salarial de 1970, os seus direitos.

Preciosa – Mostra o drama de uma garota que sofreu diversos abusos em sua infância e está grávida pela segunda vez de seu pai e que é suspensa da escola. Em uma “escola alternativa”, através da ajuda de uma professora que demonstra interesse por seus problemas vendo além das marcas deixadas pela violência na garota, esta consegue aprender a ler e escrever e muda os rumos de sua vida.

O Sorriso de Mona Lisa – Versa sobre a vida de mulheres brilhantes de uma universidade nos EUA nos anos 50 que, apesar da grande capacidade intelectual que possuíam e terem um futuro brilhante pela frente, lhes era reservado, apenas, o destino de serem boas e cultas esposas e donas de casa. No entanto, uma professora de artes as estimula a desafiarem esta situação dando a possibilidade de assumir um protagonismo nesta sociedade.

O PianoO piano retrata a sofrida trajetória de Ada McGrath, uma mulher que não fala desde os seis anos de idade e se muda para a Nova Zelândia recém-colonizada. Em companhia da filha, ela conhece seu futuro marido, com o qual não simpatiza. Para piorar a situação, o noivo, Alisdair Stewart, recusa-se a transportar o piano de Ada, que é sua maior paixão. Porém, o administrador George Baines, imediatamente interessado na mulher, adquire o instrumento e promete devolvê-lo caso ela lhe ensinasse a tocá-lo. Com o tempo, as tais aulas de piano vão se tornando encontros sexuais e os dois acabam descobrindo o verdadeiro amor (retirado do Wikipedia).

violenciacontraamulher5

Geração Roubada – Na Austrália dos anos 30, uma garota aborígene australiana, sua irmã e seu primo, fogem de uma agência governamental que os tinha retirado de suas famílias pelo Estado australiano, onde existia uma política deliberada de branqueamento da população da Austrália, onde as meninas deveriam ter filhos com homens brancos, aborda, desta forma, a violência contra a mulher, o racismo e fala da política deliberada deste governo, de extermínio de toda uma população que vivia na Austrália antes da chegada dos ingleses, apagando, inclusive, sua memória.

Thelma & Louise – Mostra a vida de duas mulheres, uma dona de casa e uma garçonete que, entediadas com suas vidas, resolvem fugir juntas em busca de aventuras que as devolva a sensação de estarem vivas novamente. Durante a viagem, são perseguidas pela polícia estadunidense após se envolverem em um crime e matarem um estuprador.

Vidas Partidas – Conta a História de uma mulher vítima de violência doméstica desde a primeira agressão do marido até a separação e a briga pela guarda das filhas.

Violência Doméstica – mostra a atuação da polícia de Tampa, na Flórida, EUA, atendendo a chamadas de mulheres vítimas de violência doméstica e o trabalho de um abrigo que atende a mulheres e crianças. O filme também aborda relações de poder, mostrando-se como uma ferramenta de conscientização e com grande força em sua linguagem.

 

Um Céu de Estrelas – Narra a história de uma cabeleireira que termina o noivado ao ganhar uma bolsa de estudos nos EUA e é sequestrada pelo seu noivo inconformado.

No Devagar Depressa dos Tempos – Com o objetivo de investigar como o Programa Bolsa Família mudou a vida das mulheres nordestinas, a diretora se depara com diversas situações de machismo e violência de gênero no interior do Piauí.

Feminicídio no Brasil – Documentário elaborado por estudantes universitárias que mostra histórias de violência nas cinco regiões do Brasil.

Hot Girls Wanted – Mostra a rotina de garotas que são atraídas para o mundo do pornô amador e a forma que as relações são colocadas de forma a naturalizar a violência de gênero ao se perseguir a promessa de fama, dinheiro e reconhecimento.

Virou o Jogo, A História de Pintadas – No sertão baiano, na cidade de Pintadas, o machismo era a regra. Diante de um contexto dominado pelos homens e fortemente opressor, as mulheres se organizaram para transformar a realidade local e afirmarem suas identidades e direitos (retirado do site Educação Integral).

O Aborto dos Outros – Aborda o tema do aborto, através de depoimentos de especialistas, meninas e mulheres. O filme mostra através de uma perspectiva mais sensível ao tema, uma tentativa de superar o simples pré-conceito que condena e criminaliza as pessoas que se submetem a este ato.

Renascimento do Parto – Documentário que denuncia a realidade do alto número de cesáreas no Brasil, a desnecessidade da maior parte deles e relata casos de mulheres vítimas de violência obstetrícia, tendo seus direitos e desejos violados no procedimento.

 

Como se fosse da Família – Documentário onde duas domésticas refletem sobre suas trajetórias de vida e trabalho ao servir, por toda a vida, a uma mesma família, desde pequenas até adultas.  A recente lei de regulamentação do trabalho doméstico é discutida entre ambas.

O Silêncio das Inocentes – Conta a história de mulheres vítimas de violência doméstica e dá destaque à vida da farmacêutica Maria da Penha.

Que Bom te Ver Viva – História de resistência de mulheres contra a ditadura militar no Brasil. Mostra a adaptação de cada uma na transição à Democracia com a memória das violências que sofreram na luta pela liberdade.

Persépolis (animação) – Conta a história de uma garota iraniana que deixa seu país e vai para a França buscando continuar seus estudos e passa por várias situações de preconceito e mostra as suas dificuldades de adaptação na Europa. Ao voltar para o Irã não se sente mais pertencendo àquele lugar ao não se adequar ao que a sociedade espera dela como mulher, vivendo, assim, numa espécie de limbo entre as várias culturas.

O Sussurro do Coração (animação) – História de uma menina de 14 anos que acredita na própria força e que está disposta a concretizar seu sonho de ser escritora, largando tudo e iniciando sua missão pelo mundo da imaginação, com disciplina e determinação.

Este texto se insere na necessidade urgente em dar destaque ao assunto acerca das variadas violências a que as mulheres são submetidas. Ele é apenas uma semente lançada e que pode se desenvolver com a sua ajuda, não se abstenha do debate, compartilhe em sua rede social e ajude a fazer o assunto ganhar a evidência necessária a fatos de tão grande gravidade.

Fábio Brito.

Diga não à violência. DENUNCIE através do número 180. compartilhe este e demais textos sobre a MISOGINIA. Dê visibilidade ao assunto, não o ignore!!!

violenciacontraamulher6

Anúncios

“É preciso estar atento e forte, não temos tempo de TEMER a morte”!!!

“Vem, vamos embora, que esperar não é saber,

quem sabe faz a hora, não espera acontecer.”

Geraldo Vandré.

 

Muitas vezes na vida nos sentimos desamparados diante de tanta injustiça, sentimos a dor nos invadir, a tristeza nos tomar, e choramos.

O que seria de nós sem a arte? A poesia? A música?

Quando pessoas te apontam e te chamam de vagabundo e preguiçoso, um verdadeiro irresponsável? O que fazer?

Infelizmente eu passei por algo assim e ninguém tem como entender uma coisa destas. Não é concebível que pessoas se aproximem de você quando está ferido e te lancem ao precipício.

Não há nada melhor a fazer que pedir a Deus para que estas pessoas estejam bem e tenham curado a sua dor interior, a auto estima esteja elevada e que, hoje, consiga sorrir para o mundo, deixando para trás este tempo em que chutava cachorros pela estrada.

É claro, temos que compreender que pessoas que agem assim, tentando nos menosprezar, nos diminuir, nos destruir, por fim, tem uma dor em sua alma maior do que podemos imaginar e são, verdadeiramente, dignas de pena.

Hoje, depois que sai de uma depressão, que consumiu dez anos da minha vida, que me acometeu com a morte de meu pai, tenho a felicidade de ter saído dela sem remédios. Me pergunto, quantos não conseguem? Quantos não estão gritando por ajuda para cada um de nós e nem percebemos, pois o mundo a nossa volta nos exige produzir mais dinheiro, mais dinheiro, mais dinheiro.

No entanto, o que é mais impressionante é que ante a nossa dor, existem dores maiores e que nos são inimagináveis.

A DOR  de você estar num quarto aos dezesseis, dezoito anos, como muitas pessoas, homens e mulheres, na época da DITADURA estiveram, “à mercê” de brutais serviçais dos donos do poder. E observamos que a nossa Presidenta Dilma passou por isto.

Em busca de propriedades, dinheiro, influência, fama, poder. Mas, me digam, em nome de que?

Se a vida nos ensina alguma coisa é que, ao sairmos dela não levaremos nada. Ficam propriedades, dinheiro, jóias e a própria vida, que, descobrimos, então, que nem ela nos pertencia.

Temos um prazo muito curto para viver, pois, quando muito, iremos beirar os cem anos, não muito mais que isto, e para que serve tanta ambição? Tanto FUROR em acumular coisas que não levaremos conosco?

Dizem que, ao final de nossa jornada aqui na terra, seremos julgados pelos filhos que fomos, pelos pais que nos tornamos, pelos profissionais que fomos, irmãos, amigos e etc.

Hoje, a cada dia que passa, acredito que é muito mais que isto. Creio que estamos aqui com uma missão maior, muito mais que estas elencadas acima.

Que tipo de jardineiros nós somos? Que tipo de zeladores nos tornamos? Sim, porque entendo que estamos aqui para cuidar de tudo aquilo que está à nossa volta. Animais, plantas, das pessoas mais frágeis que a gente, nosso planeta enfim, e, no entanto,  observamos nossos semelhantes morrerem até de FOME, sem nada fazer, poluímos as águas, a terra, ao depositar o lixo acima dela, e o ar. Será que não percebemos que estamos condenando tudo a uma destruição sem o menor sentido?

O que importa na vida, não é o que você alcançar no final, e sim, tudo aquilo que você “enfrentou” para ter chegado lá, tanto os sorrisos quanto as lágrimas que derramou. As chegadas e as despedidas. As rosas e os espinhos. As vitórias e as derrotas. Elas fizeram você ser quem você é, e a vida terá valido a pena, quanto mais a pessoa que você acreditava poder tornar-se, lá atrás, esteja sorrindo para você no momento em que você chegar ao fim de sua jornada.

Vamos recordar de alguns bons momentos em que a arte nos brindou com palavras e sensações de coragem, de ânimo, para prosseguirmos em nossa luta contra a TIRANIA E A OPRESSÃO.

 

Começo com um poema de minha autoria:

 

Nossa Travessia

Fábio Brito

 

A gente não entende as guerras

e seus heróis premiados,

por matar e destruir nossos irmãos.

 

Eles quebram nossos sonhos

de uma maneira tão brutal,

que não sabemos se conseguiremos

colar nossos cacos, curar nossas feridas.

 

Mas, ante a dor que sentimos no coração,

atravessando a longa e sombria noite

em que nos jogaram,

descobrimos as respostas de que precisamos

em nosso coração, no fundo de nós mesmos.

 

Não devemos nos preocupar com o que eles sejam,

com o que pensam, ou como agem.

 

É verdade, por alguns momentos não temos ânimo,

nos encolhemos e choramos, nosso coração sangra,

mas sabemos que isto não resulta em nada,

e, mesmo que tenhamos sido atingidos

no seio de nossa própria família,

por pessoas que não esperávamos,

Iremos levantar.

 

Fortalecidos em nossos valores

e oferecendo nossa mão aos traidores,

porque não queremos ninguém ao chão,

e a travessia só vale a pena com união,

pois só somos verdadeiramente fortes no amor.

 

 

Divino Maravilhoso

Caetano Veloso

 

Atenção ao dobrar uma esquina

Uma alegria, atenção menina

Você vem, quantos anos você tem?

Atenção, precisa ter olhos firmes

Pra este sol, para esta escuridão

Atenção, tudo é perigoso

Tudo é divino maravilhoso

Atenção para o refrão

É preciso estar atento e forte

Não temos tempo de temer a morte

É preciso estar atento e forte

Não temos tempo de temer a morte

 

Atenção para a estrofe e pro refrão

Pro palavrão, para a palavra de ordem

Atenção para o samba exaltação

Atenção, tudo é perigoso

Tudo é divino maravilhoso

Atenção para o refrão

É preciso estar atento e forte

Não temos tempo de temer a morte

É preciso estar atento e forte

Não temos tempo de temer a morte

 

Atenção para as janelas no alto

Atenção ao pisar o asfalto, o mangue

Atenção para o sangue sobre o chão

Atenção,tudo é perigoso

Tudo é divino maravilhoso

Atenção para o refrão

É preciso estar atento e forte

Não temos tempo de temer a morte

É preciso estar atento e forte

Não temos tempo de temer a morte.

 

 

Que as Crianças Cantem Livres

Taiguara

O tempo passa e atravessa as avenidas
E o fruto cresce, pesa e enverga o velho pé
E o vento forte quebra as telhas e vidraças
E o livro sábio deixa em branco o que não é

Pode não ser essa mulher o que te falta
Pode não ser esse calor o que faz mal
Pode não ser essa gravata o que sufoca
Ou essa falta de dinheiro que é fatal

Vê como um fogo brando funde um ferro duro
Vê como o asfalto é teu jardim se você crê
Que há sol nascente avermelhando o céu escuro
Chamando os homens pro seu tempo de viver

E que as crianças cantem livres sobre os muros
E ensinem sonho ao que não pode amar sem dor
E que o passado abra os presentes pro futuro
Que não dormiu e preparou o amanhecer…

 

POESIA:

No Caminho com Maiakóvski

Eduardo Alves da Costa

 

Assim como a criança

humildemente afaga

a imagem do herói,

assim me aproximo de ti, Maiakóvski.

Não importa o que me possa acontecer

por andar ombro a ombro

com um poeta soviético.

Lendo teus versos,

aprendi a ter coragem.

Tu sabes,

conheces melhor do que eu

a velha história.

Na primeira noite eles se aproximam

e roubam uma flor

do nosso jardim.

E não dizemos nada.

Na Segunda noite, já não se escondem:

pisam as flores,

matam nosso cão,

e não dizemos nada.

Até que um dia,

o mais frágil deles

entra sozinho em nossa casa,

rouba-nos a luz, e,

conhecendo nosso medo,

arranca-nos a voz da garganta.

E já não podemos dizer nada.

Nos dias que correm

a ninguém é dado

repousar a cabeça

alheia ao terror.

Os humildes baixam a cerviz;

e nós, que não temos pacto algum

com os senhores do mundo,

por temor nos calamos.

No silêncio de meu quarto

a ousadia me afogueia as faces

e eu fantasio um levante;

mas amanhã,

diante do juiz,

talvez meus lábios

calem a verdade

como um foco de germes

capaz de me destruir.

Olho ao redor

e o que vejo

e acabo por repetir

são mentiras.

Mal sabe a criança dizer mãe

e a propaganda lhe destrói a consciência.

A mim, quase me arrastam

pela gola do paletó

à porta do templo

e me pedem que aguarde

até que a Democracia

se digne a aparecer no balcão.

Mas eu sei,

porque não estou amedrontado

a ponto de cegar, que ela tem uma espada

a lhe espetar as costelas

e o riso que nos mostra

é uma tênue cortina

lançada sobre os arsenais.

Vamos ao campo

e não os vemos ao nosso lado,

no plantio.

Mas ao tempo da colheita

lá estão

e acabam por nos roubar

até o último grão de trigo.

Dizem-nos que de nós emana o poder

mas sempre o temos contra nós.

Dizem-nos que é preciso

defender nossos lares

mas se nos rebelamos contra a opressão

é sobre nós que marcham os soldados.

E por temor eu me calo,

por temor aceito a condição

de falso democrata

e rotulo meus gestos

com a palavra liberdade,

procurando, num sorriso,

esconder minha dor

diante de meus superiores.

Mas dentro de mim,

com a potência de um milhão de vozes,

o coração grita – MENTIRA!

 

 

Pra Não Dizer Que Não Falei das Flores

Geraldo Vandré

 

Caminhando e cantando e seguindo a canção
Somos todos iguais braços dados ou não
Nas escolas, nas ruas, campos, construções
Caminhando e cantando e seguindo a canção

Vem, vamos embora, que esperar não é saber,
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer

Vem, vamos embora, que esperar não é saber,
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer

Pelos campos há fome em grandes plantações
Pelas ruas marchando indecisos cordões
Ainda fazem da flor seu mais forte refrão
E acreditam nas flores vencendo o canhão

Vem, vamos embora, que esperar não é saber,
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.

Vem, vamos embora, que esperar não é saber,
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.

Há soldados armados, amados ou não
Quase todos perdidos de armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam uma antiga lição
De morrer pela pátria e viver sem razão

Vem, vamos embora, que esperar não é saber,
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.

Vem, vamos embora, que esperar não é saber,
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.

Nas escolas, nas ruas, campos, construções
Somos todos soldados, armados ou não
Caminhando e cantando e seguindo a canção
Somos todos iguais braços dados ou não
Os amores na mente, as flores no chão
A certeza na frente, a história na mão
Caminhando e cantando e seguindo a canção
Aprendendo e ensinando uma nova lição

Vem, vamos embora, que esperar não é saber,
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.

Vem, vamos embora, que esperar não é saber,
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.

 

 

Apesar de Você

Chico Buarque

 

Hoje você é quem manda
Falou, tá falado
Não tem discussão
A minha gente hoje anda
Falando de lado
E olhando pro chão, viu
Você que inventou esse estado
E inventou de inventar
Toda a escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar
O perdão

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Eu pergunto a você
Onde vai se esconder
Da enorme euforia
Como vai proibir
Quando o galo insistir
Em cantar
Água nova brotando
E a gente se amando
Sem parar

Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros, juro
Todo esse amor reprimido
Esse grito contido
Este samba no escuro
Você que inventou a tristeza
Ora, tenha a fineza
De desinventar
Você vai pagar e é dobrado
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Inda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria
Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença
E eu vou morrer de rir
Que esse dia há de vir
Antes do que você pensa

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Você vai ter que ver
A manhã renascer
E esbanjar poesia
Como vai se explicar
Vendo o céu clarear
De repente, impunemente
Como vai abafar
Nosso coro a cantar
Na sua frente

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Você vai se dar mal
Etc. e tal

 

 

Dando Milho aos Pombos

Zé Geraldo

Enquanto esses comandantes loucos ficam por aí
queimando pestanas organizando suas batalhas
Os guerrilheiros nas alcovas preparando na surdina
suas mortalhas
Isso tudo acontecendo e eu aqui na praça
dando milho aos pombos ( 2 vezes )

Entra ano, sai ano, cada vez fica mais difícil
o pão, o arroz, o feijão, o aluguel
Uma nova corrida do ouro
o homem comprando da sociedade o seu papel
Quanto mais alto o cargo maior o rombo
Isso tudo acontecendo e eu aqui na praça
dando milho aos pombos ( 4 vezes )

Eu dando milho aos pombos no frio desse chão
Eu sei tanto quanto eles se bater asas mais alto
voam como gavião
Tiro ao homem tiro ao pombo
Quanto mais alto voam maior o tombo

Eu já nem sei o que mata mais
Se o trânsito, a fome ou a guerra
Se chega alguém querendo consertar
vem logo a ordem de cima
Pega esse idiota e enterra
Todo mundo querendo descobrir seu ovo de Colombo
Isso tudo acontecendo e eu aqui na praça
dando milho aos pombos ( 5 vezes )

 

 

Disparada

Jair Rodrigues

 

Prepare o seu coração pras coisas que eu vou contar
Eu venho lá do sertão, eu venho lá do sertão
Eu venho lá do sertão e posso não lhe agradar

Aprendi a dizer não, ver a morte sem chorar
E a morte, o destino, tudo, a morte e o destino, tudo
Estava fora de lugar, eu vivo pra consertar

Na boiada já fui boi, mas um dia me montei
Não por um motivo meu, ou de quem comigo houvesse
Que qualquer querer tivesse, porém por necessidade
Do dono de uma boiada cujo vaqueiro morreu

Boiadeiro muito tempo, laço firme e braço forte
Muito gado, muita gente, pela vida segurei
Seguia como num sonho, e boiadeiro era um Rei
Mas o mundo foi rodando nas patas do meu cavalo
E nos sonhos que fui sonhando, as visões se clareando
As visões se clareando, até que um dia acordei

Então não pude seguir, valente em lugar tenente
E dono de gado e gente, porque gado a gente marca
Tange, ferra, engorda e mata, mas com gente é diferente

Se você não concordar, não posso me desculpar
Não canto pra enganar, vou pegar minha viola
Vou deixar você de lado, vou cantar noutro lugar

Na boiada já fui boi, boiadeiro já fui Rei
Não por mim nem por ninguém, que junto comigo houvesse
Que quisesse ou que pudesse, por qualquer coisa de seu
Por qualquer coisa de seu, querer mais longe que eu

Mas o mundo foi rodando nas patas do meu cavalo
E já que um dia montei agora sou cavaleiro
Laço firme e braço forte num reino que não tem rei

Na boiada já fui boi, boiadeiro já fui Rei
Não por mim nem por ninguém, que junto comigo houvesse
Que quisesse ou que pudesse, por qualquer coisa de seu,
Por qualquer coisa de seu, querer mais longe que eu

Mas o mundo foi rodando nas patas do meu cavalo
E já que um dia montei agora sou cavaleiro
Laço firme e braço forte num reino que não tem rei.

Laiá laiá laiá laiá laiá lá laiá

 

 

Admirável Gado Novo

Zé Ramalho

 

Vocês que fazem parte dessa massa
Que passa nos projetos do futuro
É duro tanto ter que caminhar
E dar muito mais do que receber
E ter que demonstrar sua coragem
À margem do que possa parecer
E ver que toda essa engrenagem
Já sente a ferrugem lhe comer
Êh, oô, vida de gado
Povo marcado
Êh, povo feliz!

Lá fora faz um tempo confortável
A vigilância cuida do normal
Os automóveis ouvem a notícia
Os homens a publicam no jornal
E correm através da madrugada
A única velhice que chegou
Demoram-se na beira da estrada
E passam a contar o que sobrou!
Êh, oô, vida de gado
Povo marcado
Êh, povo feliz!

O povo foge da ignorância
Apesar de viver tão perto dela
E sonham com melhores tempos idos
Contemplam esta vida numa cela
Esperam nova possibilidade
De verem esse mundo se acabar
A arca de Noé, o dirigível,
Não voam, nem se pode flutuar
Êh, oô, vida de gado
Povo marcado
Êh, povo feliz!

 

O momento em que atravessamos no Brasil não é fácil, mas devemos buscar no mais profundo de nós mesmos as respostas para nossos problemas, e, com certeza, iremos nos deparar com uma força que não sabíamos que tínhamos.

Não podemos fraquejar, não podemos nos acovardar, pois a oportunidade que temos em avançar sobre o campo inimigo é única! Eles rasgaram a Constituição Brasileira. Nosso voto, não foi respeitado e o jogo que se joga agora é o que eles permitirem a gente jogar, se acharem que deve, alteram os resultados, desta forma, seremos bois amestrados num jogo marcado, cheio de vícios, cheio de truques, onde eles escondem as cartas nas mangas e vencem quando quiserem. Algumas concessões serão feitas mas somente quando tiverem a certeza da obediência dos que se dispuserem a participar nestas condições.

Podemos e temos todas as condições de virar este jogo. Somos 99% contra 1%. Nosso povo está preparado e a espera de alguém que os venha liderar no embate que virá.

SIM, NÓS PODEMOS vencer, pois estamos ao lado da VERDADEIRA JUSTIÇA, da VERDADE, da FRATERNIDADE, buscamos a IGUALDADE, caminhamos com o AMOR em nossos corações e quem segue pela vida assim, não só busca a LIBERDADE, porque, verdadeiramente, está, desde sempre, LIVRE, qualquer que seja o desfecho de sua missão.

Devemos, portanto, iniciar agora mesmo, a nossa caminhada, porque, em seu decurso, não há nada que possamos TEMER.

 

Fábio Brito – Santa Catarina.

P.S.: O vídeo abaixo mostra como o povo venezuelano venceu um GOLPE CIVIL E MILITAR que derrubou o presidente Chávez e o manteve fora do poder por dois dias. Não podemos achar que no Brasil seria igual, mas e por quê tem que ser diferente?

Está em nossas mãos fazermos a nossa história agora, retirando o poder dos que se acreditam ser, o nosso país, uma propriedade deles e que, o POVO, É UM MERO DETALHE  que existe apenas para confirmar os seus caprichos e sustentar sua opulência.

Precisamos mostrar que eles estão enganados. Chegou a nossa vez, só depende de nós. Acreditemos no que Obama disse, “YES, WE CAN.”

LÁ VEM O BRASIL DESCENDO A MADEIRA!!! SEM PALAVRAS!!!

 

AS TERMÓPILAS BRASILEIRAS.

Vocês verão, a partir de agora, parte da história que está sendo feita por cada um de nós e que não será contada pela REDE GLOBO, aquele grupo mafioso que acredita que ainda pode eleger e depor presidentes quando bem quiser.

Bem, acontece que agora a história está sendo feita por nós e os 40 manifestantes a quem, desdenhosamente, Michê Temer, O  PROSTITUTO GOLPISTA, se referiu ao falar das manifestações contra ele, que, em breve, será levado para as TERMÓPILAS BRASILEIRAS e lá será derrotado.

 

HOMENAGEM AOS QUE TEM CORAGEM E NÃO SE RENDEM POR LUTAR POR UM SONHO DE UM MUNDO MELHOR!!!

TemerRepressão

Postado em 05 Sep 2016 por :

Repressâo1

Guantanamo é aqui

Postado em 05 Sep 2016 por :

Repressâo2.jpg

A índole democrática da PM está impressa no “Sai, lixo” dirigido ao repórter da BBC. Por Donato

Postado em 05 Sep 2016 por :

Repressão3aTemerRepressão1

Repressâo4

TemerRepressão2

Repressâo5 (2)

 

Geledes

TemerRepressão3

FOTOS MÍDIA NINJA. ANTES, SEM A POLÍCIA DO PSDB DE ALCKMIN

 

OS JORNALISTAS LIVRES MOSTRAM O QUE ELES INTERROMPERAM

 

A CUT RIO TAMBÉM MOSTRA O ATO ANTES DA POLÍCIA IR “PROTEGER” O POVO

 

QUANDO A POLÍCIA MILITAR DO PSDB CHEGA É ASSIM:

Desamascarando

É ASSIM QUE A POLÍCIA DO PSDB AGE:

JornalistasLivres

NÃO ADIANTA REPRIMIR, GOLPISTA É SEU NOME E VAMOS TIRAR VOCÊ DAÍ.

 

NÃO ADIANTA APELAR, NÃO ADIANTA REPRIMIR, VOCÊ, NÓS VAMOS TIRAR, LOGO VOCÊ VAI CAIR!!!

E, NÃO SE PREOCUPE, NÓS VAMOS NOS LEMBRAR DO QUE VOCÊ SE TRANSFORMOU E COMO VOCÊ ENTROU PARA A HISTÓRIA. VEJA.

 

NÓS TEMOS CÂMERAS, FILMADORAS E CELULARES E A VERSÃO DA HISTÓRIA QUE VOCÊS CONTAM, SERÁ DESMASCARADA. VAMOS CONTAR A VERDADE!!!

 

PORQUE NÓS SOMOS O POVO BRASILEIRO E QUEREMOS NOSSO PAÍS DE VOLTA. TEMOS A ALEGRIA DO NOSSO LADO, A SABEDORIA DE QUEM NÃO SE ABATE MESMO QUANDO OS CRIMINOSOS TOMAM NOSSO PAÍS.

ForaTemerParis

MAS NÃO SE PREOCUPEM, VOCÊ E A ELITE BRASILEIRA PODEM CONTINUAR MENOSPREZANDO O POVO BRASILEIRO E ACREDITANDO QUE AINDA ESTÃO NA ÉPOCA FEUDAL. OLHA SÓ AÍ EMBAIXO OS 40 REUNIDOS…

40Pessoas

QUANDO UM POVO NÃO ADMITE PERDER O QUE CONQUISTOU EM 13 ANOS, QUEM IRÁ PARÁ-LO? VOCÊ? ESTA ELITE PUTREFATA?

 

Manifestação pacífica acaba com gás lacrimogêneo

Mãe tenta proteger os filhos das bombas

 

Tropa fecha o metrô: nem entra nem sai!

Quer se proteger? Porrada!

 

Em busca de um cadáver

Pau nos jornalistas!

 

Instruções para manifestações

Como sobreviver à PM do Ministro da “Justiça”

 

BBC

BolgdaCidadania

 

BlogdaCidadania

 

 

BrasildeFato

 

Parlamentares irão denunciar repressão a manifestações contra Temer à OEA

Medida foi anunciada em São Paulo após violência policial ocorrida neste domingo (4)

Redação

São Paulo (SP), 05 de Setembro de 2016 às 17:32
PMPresença

Forte presença policial marcou protesto das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo neste domingo / Brasil de Fato

 

Brasil247Logo

 

Brasil247Washington

 

 

GGNLogo

GGNManifestaçãoPaulista

 

As imagens acima nos mostram como o ESTADO pode ser usado contra o seu próprio povo. É uma demonstração inconteste de que nem todos os políticos são iguais, basta ver o tratamento dado pela nossa Presidenta Dilma quando estes protestos se dirigiram a ela de forma orquestrada e comandado pela “inteligência estadunidense”, financiando grupos e treinando seus líderes para fazerem baderna em nosso país visando retirar do poder aqueles que não agradavam o IMPÉRIO.

Estas imagens, também mostram que NÃO DEVEMOS BRINCAR COM O CONTROLE REMOTO e que políticas de Estado, que não foram implementadas pelos governos LULA E DILMA, em relação à democratização efetiva das Comunicações no Brasil, nos trouxeram até onde estamos.

Não iremos nos abater, não iremos desistir.

Para finalizar, deixo uma paródia de uma musiquinha para ser entoada nas manifestações.

As águas vão rolar

Eu quero ver você se segurar

Traulita aqui, traulita ali, traulita lá

Você vai ver o chão chegar.

 

Fábio Brito – Santa Catarina, Brasil.

ASSALTO NO QUARTO NOCAUTE!!!

“Néscios e obstinados, fazem ricos os letrados.”

Desconhecido.

 

Não tem algo errado com o título, não? Não seria nocaute no quarto assalto?

Não, pois não estamos nos referindo ao jogo de Boxe. O assunto em questão é Política, Democracia, é o Brasil, e, portanto, o assunto em foco é o GOLPE pelo qual estamos a vivenciar.

Estamos falando do assalto à Democracia que a elite de nosso país perpetra, diante de nossos olhos, depois da QUARTA DERROTA consecutiva, em eleições para a direção do país, após a redemocratização.

Beijar a LONA quatro vezes seguidas, parece ter sido o limite para a nossa elite retrógrada, que, então, acionou a escumalha parlamentar nas duas casas legislativas, Câmara dos Deputados e Senado Federal, não sem antes passar anos, pacienciosamente, insuflando a “patuleia” para sair às ruas a protestar contra o Governo Federal e a sua mandatária, Dilma Vana Roussef.

E, assim, melancolicamente, a Democracia pela qual lutamos tanto e nos foi tão cara conquistar, parece que está a nos deixar, não se sabe por quanto tempo, e, o pior, leva com ela, ao que tudo indica, todas as conquistas sociais implementadas nestes 13 anos de PT, à frente da presidência do país.

Um passo atrás? Antes fosse. O que podemos vislumbrar, à nossa frente, é uma regressão social sem precedentes. Se antes duvidávamos da possibilidade da “viagem no tempo”, agora, teremos que reavaliar nossas crenças.

No Brasil, com o PSDB e o PMDB unidos, ela é mais que uma possibilidade ficcional, é uma realidade factual, principalmente quando observamos que o projeto em curso, de implementação dos interesses da elite econômica do país, prevê a retirada e “flexibilização” de direitos duramente conquistados ao longo do tempo, remetendo o país a décadas de regressão social. A viagem que eles nos prometem, portanto, é somente para o passado, e, de preferência, com bilhete apenas de ida.

A terceirização, ampla, geral e irrestrita, ameaça a classe trabalhadora como um todo, onde o rebaixamento do piso salarial, é apenas um dentre os muitos prejuízos embutidos em sua proposta. Além disto, outras conquistas como direito ao 13º. Salário, férias, carga horária de trabalho de oito horas, hora de almoço, serão atacados diretamente, uma vez que, uma das questões propostas, em suma, prevê autonomia nas negociações coletivas, inclusive, sobre a lei, ou seja, a aceitação do negociado sobre o legislado, o que faria com que diversas classes de trabalhadores, que estão menos organizadas ou tem um poder de influência menor, sejam prejudicadas.

Aumento da jornada de trabalho diária para até 80 horas por semana é uma das propostas mágicas para “salvar a economia nacional”, ou seja, enquanto os empresários aumentam exponencialmente seus lucros, a classe trabalhadora paga, sozinha, os ônus da crise mundial e da incompetência dos seus patrões.

Durante os 13 anos de governo do PT à frente da presidência, o país viveu momentos de liberdade onde nenhuma manifestação foi reprimida por inspiração do Governo Federal, no entanto, os GOLPISTAS parecem ter perdido a timidez e não pensam duas vezes ao enviar as Polícias Militares com orientação expressa para descer a madeira, descer o sarrafo, nos manifestantes que estão indo às ruas para protestar contra Michê Temer, o prostituto do GOLPE, para quem a elite resolveu entregar, momentaneamente, os rumos do país, com o objetivo claro de saquear todos os recursos do país para si, inclusive a “ESMOLA” do Bolsa Família e demais programas de equidade social.

Parem

A intenção óbvia adjacente a tal atitude é fomentar a indignação dos que se rebelam contra a deposição de uma presidente legitimamente eleita e ILEGALMENTE DEPOSTA, onde as alegações que embasavam o processo de IMPEACHMENT, se provaram vivamente, como mal elucubradas falácias.

Busca-se a exacerbação dos ânimos no intuito da deslegitimação dos protestos.

Implantam-se, entre os protestantes, baderneiros treinados na arte da destruição de patrimônio, na busca do flagra fotográfico que justifique o uso da força que visa, tão somente, silenciar a voz do povo nas ruas, único canal que lhe resta, por fim, para exprimir o que pensa e o que deseja do seu país.

Teatro pronto, casa cheia. Avante e quebrem a perna. Merda!!!

A dantesca encenação que se promoveu, então, não contava com cenas inseridas de última hora, inesperadamente e sem aviso, pela atriz principal, a qual todos aguardavam, ansiosamente que, no ápice da tragicomédia apresentada, tivesse sua cabeça decepada, para o delírio da plateia e para o incremento dos lucros nos negócios para seus promotores.

Com atuação impecável, a atriz principal do teatro Brasil, joga na obscuridade os demais atores da montagem, ROUBA-LHES a cena e torna inútil todos os seus esforços em convencer aos espectadores de que a atriz principal deveria ser decapitada ao final.

Desta forma, como num circo, diversos palhaços se sucedem a tentar extrair da plateia o sorriso salvador, que os permitiria decapitar a atriz principal, enquanto todos sorriam felizes, e, num último esforço, todos resolvem condená-la, por roubar a cena, devido à sua coragem, sua altivez, sua precisão nos movimentos, que impunha a seus algozes o desespero dos que não tem saída, a não ser buscar a cartada final dos inconsequentes, imersos na insanidade de seus desejos inconfessáveis.

Descem, assim, o pano preto, retiram a atriz principal de cena, e, encerram a encenação sem o GRAND FINALE da decapitação em cena, mas livram suas carcaças da desonra das vaias e apupos tonitruantes, que, se ocorressem, poderiam impedi-los de retornar aos palcos novamente.

Neste momento, de nossa história, como na imagem do teatro descrita acima, boa parte de nossa população encontra-se confusa, sem saber o que fazer, mesmo sendo incessantemente bombardeados com fraudes jornalísticas, que visam convencê-los que colocar suas cabeças dentro da boca do leão é o melhor a se fazer.

Não há espaço para TERGIVERSAÇÕES!!!

Ações, como a do Senador Lindbergh Farias, de participar de programa televisivo da Rede Globo, veículo que, a poucos dias atrás ele urrava feito leão nas tribunas, denunciando ser uma das principais promotoras do GOLPE, são absolutamente acintosas, e conspurcam indelevelmente os esforços daqueles que buscam a justiça social para todos e igualdade nas oportunidades, além de enodoar a memória dos que tombaram lutando por isto.

Não é minimamente aceitável que, um partido político com a importância do PARTIDO DOS TRABALHADORES, não tenha, a esta altura do campeonato, com as regras do jogo sendo modificadas para favorecer nossos adversários sob o beneplácito de juízes corruptos, regras claras de enfrentamento de veículos de mídia que pregam, abertamente, a DESTRUIÇÃO DO ESTADO DE DIREITO.

GloboFim

A GLOBO NÃO PODE CONTINUAR A OPERAR NO PAÍS.

DESTRUIR A REDE GLOBO É SALVAR NOSSA DEMOCRACIA, é salvaguardar nossa soberania e preservar nosso futuro.

Os parlamentares petistas, não podem continuar a desrespeitar a população brasileira, fingindo um joguinho ridículo de gato e rato, como o Tom e Jerry da infância de muitos de nós, ao denunciar o GOLPE, que este veículo de DESINFORMAÇÃO do povo brasileiro está a patrocinar e, no instante seguinte, saírem a babar nos microfones da GLOBO, como se nada estivesse acontecendo.

A POPULAÇÃO BRASILEIRA, EXIGE QUE O PARTIDO DOS TRABALHADORES PROÍBA, SEUS PARLAMENTARES E FILIADOS, DE SE COMUNICAREM COM ESTA QUADRILHA DE BANDIDOS, QUE SE CONHECE POR REDE GLOBO.

É INADMISSÍVEL, que parlamentares e filiados do PT, não entendam a situação pela qual este veículo está submetendo o país, e lhes dê algum tipo de respaldo!!!

Não se enganem com estes personagens que estão aparecendo demais nas tevês, querendo convencê-los que defendem os interesses do país. Eles não são atores. Desafortunadamente, para nós, pois que são internos fugidos do manicômio “INSENSATEZ” e a única coisa que guiam seus espíritos é a ambição desmedida de acumular tudo quanto possam, devido ao grande vazio que impregnam suas almas, mesmo que saibam que, no fim da vida, nada carregarão em suas mãos.

Rezar por todos eles é uma demonstração de sensibilidade, diante de pessoas doentes que perderam a capacidade de amar seus semelhantes, que, por fim, é o que consideramos SER HUMANO.

IMPEDI-LOS de alcançarem sucesso naquilo a que se propõem, é uma obrigação moral a todos os que são, verdadeiramente, humanos.

Fábio Brito – Santa Catarina, Brasil.

P.S.: Que me perdoe os palhaços, cujo ofício nobre, busca nos encher de alegria, contrariamente dos parlamentares que almejam encher somente suas contas bancárias em detrimento da felicidade do povo ao qual deveriam defender.

RecadoGlobo